Saúde e Bem Estar Top Geral

Saiba quais são as notícias falsas sobre o coronavírus

Foto: d3sign/Getty Images
Está na dúvida se a notícia é verdadeira ou falsa? Então, envie o conteúdo por telefone para o Ministério da Saúde...

Não é de hoje que quando o assunto é saúde, as fakes news parecem ganhar ainda mais força em sua circulação. Desde 31/12/19, quando o novo coronavírus foi descoberto e teve os primeiros casos registrados na China, as informações falsas foram responsáveis por causar pânico desmedido ou negligência em relação às medidas de prevenção ao Covid-19.

Muito se fala que o coronavírus é uma gripe “forte”, mas segundo o Ministério da Saúde, a definição correta é que ele “é uma família de vírus que causam infecções respiratórias”. Por isso, as vítimas infectadas costumam ter sintomas como tosse, febre e dificuldade para respirar. A intensidade desses sinais varia de pessoa para a pessoa, sendo que maiores de 60 anos e pacientes com doenças crônicas e baixa imunidade formam o grupo de risco, que estão mais vulneráveis e podem ter complicações ao contrair o vírus.

Para esclarecer dúvidas sobre a pandemia do coronavírus, que foi decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), separamos algumas notícias falsas relacionadas ao Covid-19.

Notícia falsa: Esconder o número de infectados e mortos pelo coronavírus

Diariamente, o Ministério da Saúde, de acordo com as informações passadas pelas secretárias, atualiza o número de pessoas diagnosticadas e mortas em decorrência da Covid-19. Com isso, a mensagem que informa que mais de 100 pessoas estão entre a vida e a morte no hospital de São Paulo, o Albert Einstein, é falsa. O áudio com a fake news dizia a seguinte incoerência: “Teve ontem uma reunião com o pessoal do Einstein e do Sírio Libanês e eles falaram que, por ordem do governo, eles estão escondendo a quantidade de infectados e a realidade dos fatos. No Albert Einstein, hoje na UTI, em situação de vida e morte, tem mais ou menos 100 pessoas. Total de pacientes internados no Albert Einstein com coronavírus, aproximadamente 600 a 700 pessoas. Sírio Libanês, a situação está o dobro”, mas foi desmentida pelo G1.

Notícia falsa: Mensagem de áudio do ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta

Nos grupos de WhatsApp, um possível áudio com a voz do ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, circula rapidamente com a seguintes informação: “se a gente conseguir fazer um isolamento social importante nessa semana, a gente talvez consiga virar o jogo. Está bom? Espalhe isso para todo mundo que vocês tiverem”. O próprio ministro desmentiu a veracidade da mensagem, explicando que não se comunica por esse tipo de recurso, mas sim oficialmente por meio de coletivas de imprensa.

“Eu estou aqui para falar que eu não gravo absolutamente nada de áudio; nunca fiz, não sei nem como usa. Tudo que eu falar vai ser dito claramente, sempre à frente aqui das câmeras. Os doentios da fake news gostam de se travestir da autoridade de alguém ou de uma pseudo autoridade para poder espalhar notícias, enfim, causar comoções, passar trotes, assustar pessoas”, apontou Mandeta sobre a notícia falsa.

Notícia falsa: Profissionais do Hospital Universitário do Paraná escolhem pacientes que vão salvar por falta de estrutura

“A situação dentro do HU (Hospital Universitário) fugiu do controle, tá? Tem inúmeros infectados. Ainda não foi divulgado, mas inclusive tem três crianças entubadas lá dentro. E, nesse momento, eles estão tendo que escolher a vida de quem eles vão salvar e quem eles vão deixar morrer porque não tem mais condições de atender todo mundo”, apontava uma fake news sobre um hospital do Paraná. A responsável pelo áudio foi identificada pela polícia e pode receber uma pena de 15 dias a 6 meses. “Eu acabei misturando as informações, exagerando um pouco. Menti a respeito das informações que eu tinha recebido de primeira mão… que estavam vindas de um aluno do meu esposo”, disse a responsável pela notícia falsa, que teve que se retratar.

Notícia falsa: 60 exames do kit do Governo Federal testam positivos no Mato Grosso

A Polícia Civil de Mato Grosso identificou que o uma médica compartilhou a seguinte notícia falsa: “De ontem pra hoje, 60 exames deram positivo pro corona aqui no laboratório central, com kit mandado pelo Governo Federal… Então começou, tá gente?”. Segundo os agentes, a atitude nada profissional da médica pode gerar um processo criminal a ela.

Notícia falsa: Beneficiários do Bolsa Família vão receber R$ 470 para comprar produtos de limpeza e máscaras

A informação que as famílias cadastras no programa Bolsa Família poderiam ganhar R$ 470 para adquirir itens de higiene e limpeza foi compartilhada nas redes sociais, principalmente no WhatsApp. Entretanto, o Ministério da Cidadania, responsável pelo benefício, afirma que notícia é falsa. A única alteração confirmada é a de 1,2 milhão de famílias entraram no programa por conta da pandemia do coronavírus no país. Todas as mudanças no programa são compartilhadas nos canais oficiais do Ministério e pelo site.

Notícia falsa: Professor e médico da Unifesp afirma que o vírus está longe de ser letal

Em um vídeo publicado na internet, o docente propagou fake news ao fazer essa afirmação, que vai na contramão das informações de órgãos responsáveis. Segundo o relatório da Universidade Johns Hopkins, com os dados analisados até esta segunda-feira, mais de 170 mil pessoas testaram positivo para o Covid-19 e aproximadamente 7.000 morreram após o contágio.

Notícia falsa: Teste caseiro para diagnosticar o novo coronavírus

Se você receber orientações sobre um teste caseiro para identificar a contaminação pelo coronavírus, saiba que a alternativa não funciona. Nas redes sociais, a orientação é para respirar fundo e prender a respiração por mais de 10 segundos. Caso não haja tosse, a pessoa não está infectada. O Ministério da Saúde afirma que a notícia é falsa. O único teste comprovadamente eficaz é realizado em hospitais públicos, privados ou em laboratórios autorizados.

Notícia falsa: China cancela todos os embarques de produtos por navio até março

Segundo o Ministério da Saúde, o novo coronavírus não deve ser trazido da China por meio dos produtos, já que não há nenhuma evidência. A explicação se dá pelo fato de que o vírus não consegue sobreviver por muito tempo (mais de 24 horas) fora do corpo de outros seres vivos, ou seja, ele não sobreviveria ao período de trafego.

Notícia falsa: Cura contra o coronavírus

A cura para o Covid-19 ainda não foi encontrada, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Por isso, qualquer informação que apresente medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus é falsa.

Notícia falsa: HIV e coronavírus têm vírus semelhantes

De acordo com um estudo publicado na revista Lancet, ao analisar 10 sequências genéticas do novo coronavírus, notou-se há uma semelhança do Covid-19 com o vírus SARs (COV), o qual conta com o morcego como hospedeiro original e como hospedeiro intermediário animais do mercado de Wuhan. Porém, com o vírus HIV, não há nenhum registro científico aponte similaridade. O Ministério da Saúde também informa que o novo coronavírus não foi criado em laboratório.

Notícia falsa: Coronavírus causa pneumonia de imediato

Como relembramos, os principais sintomas do novo coronavírus costumam ser febre, tosse e dificuldade para respirar. Porém, não é comprovado que a doença provocará imediatamente pneumonia, explica o Ministério da Saúde. Em alguns casos, infecções, como pneumonia, podem aparecer, mas isso não é uma regra. O importante é, na presença desses sintomas, procurar um médico.

Notícia falsa: Medicamentos para prevenir o novo coronavírus

Abacate e cocaína já foram alguns dos elementos apontados imprudentemente por fake news no Brasil, no caso do primeiro, e na França, o segundo. De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento, não há nenhum medicamento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus. Por isso, não compartilhe e nem acredite em informações falsas com esse tipo de conteúdo.

O Ministério da Saúde conta com uma página destinada para checar as notícias falsas sobre o novo coronavírus e um telefone, o (61) 99289-4640, em que o texto, imagem ou áudio duvidoso pode ser enviado para saber se falso ou verdadeiro. Sendo assim, em casos de dúvidas, não hesite em procurar recursos desse tipo para entender o que é ou não verdade. Lembre-se: ao compartilhar esse tipo de conteúdo, você coloca em risco à sua vida e das pessoas que estão ao seu redor.

Fonte: Claudia
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br

Redação Portal PaNoRaMa

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Abrir conversa
Precisa de ajuda?