Secretário de Segurança é flagrado em evento com aglomeração e questiona fiscais em Jataí: ‘A sacanagem tem um preço’

Secretário de Segurança é flagrado em evento com aglomeração e questiona fiscais em Jataí: ‘A sacanagem tem um preço’

2 de junho de 2020 0 Por Redação Portal PaNoRaMa

Notice: Trying to access array offset on value of type bool in /home/u564641441/domains/pn7.com.br/public_html/wp-content/plugins/seriously-simple-podcasting/php/classes/controllers/class-frontend-controller.php on line 434
Portal PaNoRaMa
Portal PaNoRaMa
Secretário de Segurança é flagrado em evento com aglomeração e questiona fiscais em Jataí: 'A sacanagem tem um preço'
/

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social de Jataí, Eduardo Jailton Prado Naves, foi flagrado durante um evento com aglomeração de pessoas na cidade, situada no sudoeste de Goiás (vídeo). Nas imagens é possível ouvir um som alto. Ele alega que o evento não era uma festa, mas sim uma live solidária para arrecadar fundos a instituições carentes. A prefeitura analisa o caso.

Nota de esclarecimentos portal PaNoRaMa

O evento ocorreu no último sábado (2), no Parque de Exposições de Jataí. Um decreto municipal proíbe a realização festas e encontros. Por isto, ele foi multado em 2,5 mil. Ao ser autuado, o secretário, que também é advogado, questionou a ação dos fiscais.

“O senhor é meu colega advogado. O senhor tá (sic) de brincadeira comigo? Eu tô extremamente contrariado com o que vocês estão fazendo. A sacanagem que vocês estão querendo fazer, ela tem um preço, e vocês vão enxergar isso”, afirmou o secretário.

O vídeo mostra ainda que Naves tentou rasurar a notificação porque ele não concordava com as informações relatadas, como a que contabilizava 30 pessoas no local.

Respostas

Em nota, a Prefeitura de Jataí informou que “ressalta a importância dos fiscais para cumprir o seu dever, que é manter o decreto, e ainda esclarece que não compactua de forma nenhuma com aglomerações e festas”. Disse ainda que está analisando o caso “internamente”.

Já o secretário, também em nota, afirmou que a divulgação das imagens tem como intuito “desvirtuar o caráter da live solidária” realizada por ele para ajudar instituições filantrópicas.

Naves afirmou que não havia aglomeração no local e que todos os presentes – “necessários para que a produção acontecesse” – usavam máscaras, álcool gel e mantinham o distanciamento social.

Por fim, ele disse que foram arrecadadas 12 toneladas de alimentos e que, se constatado que houve alguma falha de sua parte, ele acatará a multa imposta porque “jamais permitiria que isso refletisse no propósito” que buscava.

Por Sílvio Túlio e Tássia Fernandes, G1 GO e TV Anhanguera
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br