PN7 GOIÁS: Venda da Celg é debatida na Câmara Federal

Sem categoria

O líder da Minoria no Congresso Nacional, Ronaldo Caiado (Democratas-GO), vai cobrar explicações dos dirigentes da Eletrobras e Celg sobre a compra de 51% das ações da empresa goiana pela estatal do governo federal. Por iniciativa do parlamentar, a Comissão de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da Câmara realiza, hoje, audiência pública com diretores e presidentes da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, e da Companhia Energética de Goiás (Celg), José Fernando Navarrete Pena. A construção de uma linha de transmissão irregular na região noroeste de Goiânia também será debatida. Caiado questiona os termos da negociação realizada a toque de caixa em plena campanha eleitoral.

“Como parlamentar de Goiás, quero debater esse acordo de última hora de um assunto que já vinha sendo discutido há vários anos. Não entendi por que a pressa desse negócio no meio de uma campanha eleitoral quebrando regras do Conselho Monetário Nacional. O Banco Central faz concessões e repasses ao governo de Goiás acima daquilo que é permitido”, justificou o senador eleito se referindo ao repasse do governo federal de R$ 1,8 bilhão, o dobro do valor máximo permitido por resolução do Conselho Monetário como empréstimo à distribuidoras de energia.

Conforme Caiado, a operação feita às pressas impediu uma discussão aprofundada no Congresso Nacional, por exemplo. “Por que essa rapidez toda num período de campanha em que você não tem o Congresso funcionando, não pode esclarecer e nem discutir os termos deste contrato. É tudo muito nebuloso. Não podemos admitir que paire alguma dúvida em relação a essa negociata que foi feita da maior empresa do Estado de Goiás, que também é a maior empresa do Centro-Oeste brasileiro”, afirmou.

Na avaliação de Ronaldo Caiado a operação de transferência da Celg pode causar muitos prejuízos a Goiás já que a venda foi realizada por R$ 59 milhões, uma valor bem abaixo da realidade. E o deputado acredita que a intenção da Eletrobras é privatizar a Celg. “Provavelmente, alguma empresa já está sendo constituída para comprar também esse patrimônio goiano por valores irrisórios”, destacou.

Obras irregulares

Outro assunto que será abordado pelo deputado na audiência pública é a  instalação de uma linha de transmissão pela Celg em oito bairros de Goiânia, prejudicando a saúde de 20 mil moradores. “Essa é outra preocupação que discutiremos na quarta-feira (hoje). Essas obras irregulares na nossa Capital colocam em risco a população de vários bairros pela passagem da rede de alta-tensão”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.