Política Top Destaque

Ronaldo Caiado recebe professores de Jataí

Foto: Vânia Santana
Sobre a possibilidade do Tesouro Estadual fazer um empréstimo para pagar os servidores, Ronaldo Caiado disse que não é possível "porque Goiás é o pior estado na avaliação do Tesouro Estadual",

O governador Ronaldo Caiado se reuniu nesta quinta-feira, dia 10, com integrantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintego) de Jataí, no Sudoeste goiano. Ele ouviu os relatos dos professores que se manifestaram preocupados com o pagamento do salário do mês de dezembro. “Eu queria que vocês acalmassem o coração, porque agora vocês têm um governador, um homem que é pai de família, médico por mais de 40 anos e um político que nunca fez conchavo para conseguir nada”, declarou Ronaldo Caiado ao detalhar todas as medidas que têm tomado para resolver a situação dos servidores.

A presidente do Sintego de Jataí, Rosa Helena Lemes Oliveira Martins, agradeceu o empenho e a atenção do governador e descreveu que alguns professores “estão com dificuldades até para comer”. Rosa Helena reconheceu as dificuldades enfrentadas por Ronaldo Caiado, mas salientou esperar que ele encontre uma forma de pagar o mês de dezembro, “porque eu vejo boa vontade no senhor”.

O governador, numa medida emergencial, pediu aos prefeitos que avalizem donos de supermercados e farmácias para que os servidores possam fazer compras e paguem assim que o Estado tenha dinheiro em caixa para quitar a folha de dezembro. Os representantes do Sintego aprovaram a medida e entenderam que o governador precisa de mais tempo para solucionar o problema.

Os deputados federais Delegado Waldir (PSL), José Mário Schreiner (DEM), Alcides Rodrigues (PRP), Zacharias Calil (DEM), os deputados estaduais Karlos Cabral (PDT) e Chico KGL (DEM), o senador Luiz Carlos do Carmo (MDB), o prefeito Paulo do Vale (MDB), de Rio Verde, e o anfitrião, prefeito Vinícius Luz (PSDB), testemunharam que o governador não tem medido esforços no intuito de encontrar uma solução para fazer o pagamento do mês dezembro dos servidores públicos que não foi empenhado pelo ex-governador José Eliton.

Caiado foi claro e sincero ao externar que encontrou o Estado “quebrado, com uma dívida de R$ 3,4 bilhões e R$ 11 milhões em caixa, em situação de calamidade”, mas que tem de cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. “O ex-governador foi ainda mais longe. Deu uma pedalada ao não empenhar a dívida referente à folha de pagamento do mês de dezembro. Vocês acham que eu, como médico, deixaria dinheiro em caixa sem fazer o pagamento dos servidores?”, questionou.

Ele arrematou que José Eliton “está querendo fugir de uma responsabilidade que é dele. Ele quis salvar o CPF dele e deixou o de vocês comprometido”, e complementou que “tem prefeito que não recebe o Fundo da Educação há 10 meses e está há 13 meses sem os repasses da saúde”.

Sobre a possibilidade do Tesouro Estadual fazer um empréstimo para pagar os servidores, Ronaldo Caiado disse que não é possível “porque Goiás é o pior estado na avaliação do Tesouro Estadual”, com nota D, “interditado, sem poder receber aval da União para poder fazer empréstimos”.

Relatou também que na próxima segunda-feira, 14, uma comitiva do Governo Federal, formada por integrantes do Tesouro Nacional e da Secretaria do Orçamento, “fará o levantamento da realidade orçamentária do Estado de Goiás” para que seja encontrada uma solução, rápida, visando atender ao anseio dos servidores.