Saúde e Bem Estar

Micose é frequente em clima quente e úmido. Saiba como se prevenir

Dermatologista explica como o problema se manifesta e quais são os tratamentos...

As micoses são um conjunto de reações da pele causadas por fungos. Segundo a dermatologista Katia Purim, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), esses fungos habitam no solo, em animais e até mesmo em pessoas. Para apresentar problemas de micose, são necessários, além do contato com o fungo, fatores propícios como umidade, temperatura e ser suscetível a desenvolver micose.

As condições que podem favorecer o aparecimento de micoses são o clima quente e úmido, feridas abertas, uso de alguns medicamentos, como corticoides, anemia ou diabetes, contato com determinadas bactérias, estar acamado e o uso de fraldas. Katia afirma que a micose pode aparecer em qualquer parte do corpo, já que o fungo se alimenta de queratina, substância que compõe a pele, pelos e unhas.

Micoses que aparecem em cima da unha geralmente possuem cor mais esbranquiçada e são mais superficiais. Já quando está dentro da unha pode se tratar de um parasitismo, que levará mais tempo para ser tratado. De acordo com a dermatologista, as diferentes manifestações da micose variam de acordo com o tipo de fungo e o local afetado.

A micose também pode aparecer na lateral da unha e, neste caso, é mais frequente em mulheres devido ao contato com objetos contaminados, como alicates, e pelo uso de sapatos apertados, que criam ambiente propício a seu desenvolvimento. Unhas encravadas também podem favorecer o aparecimento da micose, segundo a dermatologista.

A dermatologista afirma que micoses de cabelo, geralmente, aparecem em crianças e se manifestam por meio de falhas no couro cabeludo e coceira. Outra micose comum é a pitiríase versicolor, chamada impropriamente de “micose de praia”. Isso porque o fungo que causa a doença habita naturalmente a pele e sob condições específicas desenvolve a infecção. Manifesta-se por manchas descamativas que ficam mais evidentes no sol. O tratamento consiste em uso de xampu contra o fungo.

Se a micose for na pele, se manifestará por meio de coceira e vermelhidão nas bordas, podendo aparecer bolhas também. Em “dobras”, como na virilha e no meio dos dedos do pé, a umidade do local pode gerar uma fissura, onde o fungo se instalará e causará vermelhidão e coceira, sendo mais comum entre os homens, segundo Katia.

A micose pode ser transmitida por meio do contato com materiais contaminados, compartilhamento de toalhas e objetos cortantes, toalhas molhadas e água parada em bordas de piscina. A micose também pode ser adquirida em ambiente de estufa criado em sapatos molhados. A micose não é transmissível por meio de contato.

Devido ao tempo úmido e as altas temperaturas, a micose é mais comum no verão. A dermatologista aconselha o uso de chinelos na borda das piscinas, alternar o uso de meias e calçados, reforçar os cuidados de higiene e secar áreas de dobras e cabelos, alternar o uso de roupas e roupas mais frescas, ter seu próprio material de manicure, controlar doenças e ter boa alimentação como maneiras de prevenção.

A micose deve ser identificada por um médico, que orientará o paciente sobre o tratamento adequado conforme o tipo de micose e local afetado. Entre os tratamentos, há a possibilidade de bases de unha medicamentosas, cremes, loções, sprays e medicação oral, que podem durar de duas semanas até dois meses.

Fonte: R7
Jornalismo Portal Panorama

Enquete:

O Panorama quer saber a sua opinião: Educação sexual nas escolas de Jataí. Você é contra ou a favor?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...