GOIÁS: “Justiceiros da rua” tomam conta de Goiânia

GOIÁS: “Justiceiros da rua” tomam conta de Goiânia

19 de fevereiro de 2014 1 Por Redação Portal PaNoRaMa

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_facebook type=”standard”][/vc_column][/vc_row]

Atualmente no estado de Goiás, está sendo bastante comum o ato de fazer justiça com as próprias mãos, embora seja errado e considerado crime. Segundo a imprensa, os justiceiros populares surgiram após comentários da jornalista Rachel Sherazade do SBT, que defende quem faz justiça com as próprias mãos.

Casos em que assaltantes ao cometerem furtos são perseguidos, presos e espancados por justiceiros da rua estão sendo muito frequentes em Goiânia.

Já houve espancamento contra três homens envolvidos em assalto na capital em cerca de 72 horas. Os vizinhos não esperaram pela polícia e decidiram partir para a violência contra os assaltantes. Foi necessário levar um deles para o hospital.

Na terça-feira (18) ocorreu outro caso em Goiânia. Três homens perseguiram e agrediram um jovem que teria roubado a bolsa de uma esteticista quando a mesma se dirigia ao trabalho. O ladrão entrou em um carro que o esperava com um comparsa e os mesmos iniciaram a fuga. Três ocupantes de outro carro viram a ação dos ladrões com a moça e os seguiram, no entanto, durante a fuga, os assaltantes bateram em um terceiro veículo. Os três homens do carro que estava perseguindo os assaltantes, retiraram o criminoso do automóvel, o amarraram e o agrediram até que os policiais chegassem ao local. A esteticista (vítima do crime) reprovou totalmente o espancamento.

Na segunda-feira (17) um adolescente de 16 anos teve as mãos amarradas a uma grade de ferro e os pés amarrados um ao outro após tentar roubar uma moto também em Goiânia. O mesmo foi agredido por cerca de 40 pessoas até que a Polícia Militar chegasse ao local.

A OAB/GO solicitou que representantes das comissões de direitos humanos e de segurança pública percorressem as delegacias onde os casos foram registrados. A Ordem dos Advogados de Goiás quer que seja garantida punição para quem cometeu os furtos e roubos, mas também para quem praticou agressões contra os assaltantes.

Nayara Borges de L. T. Moraes – Site PaNoRaMa