ELEIÇÕES 2014: Jornal das Sete realiza entrevista com pré-candidato Marcos Antônio do PDT

ELEIÇÕES 2014: Jornal das Sete realiza entrevista com pré-candidato Marcos Antônio do PDT

28 de maio de 2014 0 Por Redação Portal PaNoRaMa

Esta semana o Jornal das Sete, da Rádio Difusora, está realizando uma série de reportagens com pré-candidatos a Deputado e nesta manhã de terça-feira (27), foi recebido no estúdio para entrevista o vereador Marcos Antônio do PDT.

Confira a seguir a entrevista feita por Izalter, acompanhada de algumas perguntas do público ao final:

Izalter: Para governador ainda tem uma indefinição, agora Flávia Moraes é candidata a reeleição, o senhor vai apoiá-la de novo?

Marcos Antônio: Sim. Eu sou do PDT, tenho a questão da fidelidade partidária, e eu tenho princípios, eu acho que na vida temos que ter princípios, dos quais não podemos jamais fugir e eu não consigo virar as costas para quem sempre me estendeu a mão, pois se eu fizer isso estarei traindo as pessoas que me ajudaram e como eu não fiz isso com o prefeito Humberto eu não farei com a Deputada Flávia. Eu acho que temos nossos projetos políticos, mas trair as pessoas que nos ajudam eu acho que é uma das piores coisas que o político pode fazer. Agora logicamente, se o prefeito Humberto me apoiar e eu for o candidato do grupo aqui e eu fui muito claro com o prefeito Humberto nessa questão de apoiar e ter uma candidatura aqui casada com outro candidato, para isso eu precisaria sentar com o outro candidato e saber de que forma essa decisão seria tomada, mas jamais fazer de forma traiçoeira e jamais virar as costas para quem sempre me apoiou, a deputada Flávia, além de ser uma deputada que sempre me apoiou ela foi eleita em 2013, dentre os 20 deputados mais atuantes do congresso nacional em um universo de 513 deputados, então além de ser uma pessoa séria, tem um compromisso com a sociedade brasileira, por que hoje não é só com a sociedade de Goiás, pois a sociedade brasileira tem se destacado no seu mandato então isso mostra a forma séria e responsável que ela sempre conduziu o seu mandato.

Izalter: Nós temos aqui dois Deputados Estaduais, Francisco Gedda e Daniel Vilela, como o senhor analisa a atuação desses dois parlamentares, poderia ter sido melhor, está bom, como o senhor avalia?

Marcos Antônio: Às vezes as pessoas criticam a postura dos deputados estaduais. Eu acho que o Deputado de oposição tem que ter muito jogo de cintura, muita sabedoria, muita diplomacia, para poder lidar com quem está no poder, governando e administrando a máquina, e os dois deputados em questão, estiveram embates duplos com o governador, e sabemos que isso é natural e faz parte do processo, infelizmente não deveria ser assim, pois quando você bate de frente, você acaba não tendo condições de ganhar recursos ou trazer benefícios para sua comunidade e isso infelizmente funciona assim em todos os níveis, deputado que bate de frente com a presidente Dilma tem o mesmo tipo de retaliação e quanto aos dois deputados eu não critico a atuação, são dois deputados que considero que fazem um bom mandato, faz o papel de oposição na assembleia de forma séria e responsável, mas faltou esse jogo de cintura. Infelizmente na política você tem que saber lidar de forma diplomática e sábia com esse tipo de problema.

Izalter: Confirmando sua candidatura o que o senhor pretende levar como bandeira para postular e buscar o voto do eleitor?

Marcos Antônio: Hoje as questões que envolvem a sociedade brasileira, sempre passam pelo tripé que é saúde, educação e segurança pública, então hoje se você pensar, uma sociedade de forma diferente, com esses problemas que cada vez se agravam mais, você está fazendo um discurso ultrapassado. Por que você vê como está essa questão da segurança pública em nosso estado, por que vivemos essa realidade aqui de perto, inclusive nós tivemos com o secretário do governador Marconi e falava justamente esta questão de investimento na segurança pública, por que Jataí espera há quantos e quantos anos a construção de um novo presídio e sabemos que presídio não é a solução e não é paliativo, são questões muito mais profundas do que simplesmente discutir essa questão de prisão, por que hoje o juiz manda prender, a polícia prende e após isso, na mesma semana o juiz manda soltar por causa das leis, então temos como legislador procurar contribuir de forma a ajudar nesse processo e não simplesmente criticar, e eu disse isso também em reunião com o secretário do governador Marconi sobre esta questão do presídio de Jataí, e no inicio da reunião ele nos disse que temos que ver que o governador tem prioridades, ele tem que investir ou em uma sala de aula ou uma cela de presídio, então vocês sabem que qual prioridade vocês dariam se fosse para construir uma cela ou uma sala, e eu disse de pronto que eu gastaria menos com propaganda e faria os dois, por que o governador infelizmente já gastou, somente nesses 3 primeiros anos de mandato mais de 400 milhões com propaganda, o que é um absurdo, então vamos chegar ao nível federal porque isso também aumenta o leque. Mas um governador que reclama que não tem recurso para investir, sendo que no primeiro ano de administração em 2011 ele dizia que pegou o estado quebrado e naquele mesmo ano gastou 78 milhões de reais com propaganda, como que você pega um estado quebrado e que como ele mesmo disse, que não tinha como governar pois os dois primeiros anos é de arrumar a casa, você gasta 78 milhões com propaganda, em 2012 gastou 172 milhões com propaganda e o ano passado quase 170 milhões, então acho que nós precisamos é mudar o foco, o povo pede mudança, gente nova e ideias novas, mas os grupos são os mesmos. Aqui em Jataí, ontem mesmo eu conversava com outro vereador que falava que em Jataí são dois grupos bem distintos, o povo tem que ter alternativa, por que você caminha e você hoje não consegue enxergar, por exemplo, Jataí em 2016, com dois candidatos diferentes que não seja hoje falado pelo povo Leandro Vilela e do outro lado Victor Priori, e aí muitos perguntam: “você acha que o Victor Priori vai se candidatar a Deputado, sendo que se ele for eleito vai querer ser candidato a prefeito?”, é claro, qualquer homem com sabedoria iria querer e o Victor é um homem de 60 anos de idade, não vai deixar de ser candidato a prefeito de Jataí para ficar simplesmente como Deputado Estadual. Mas eu acredito que isso tudo é falta de alternativa e o povo pede essas mudanças, mas para sua realidade, então passar pelos tripés de segurança, educação e saúde é fundamental para que tenhamos projetos que realmente transformem a realidade, por que discurso em época de campanha e política é muito fácil e todos fazem, mas quando assume o poder veem a enorme dificuldade que é e hoje sem chanceler do executivo em qualquer esfera de poder tanto federal quanto estadual, não é fácil e a forma como a máquina funciona é uma coisa absurda, por exemplo, às vezes a presidente Dilma toma medidas duras, em Jataí o Prefeito Humberto, também pensando no bem, olhando em Jataí de uma forma de futuro tentando preservar a máquina para que Jataí não chegue como está chegando à prefeitura de Goiânia no caos administrativo às vezes toma medidas que são impopulares e as pessoas criticam, mas não enxergam como funciona a máquina, então precisamos conhecer para realmente poder criticar, e com estas propostas como você me fez a pergunta, a gente tenta também de forma como legislador e se tivermos um mandato de Deputado ajudar a contribuir para construção de um estado melhor.

Público: O senhor pretende sair candidato com o apoio de qual grupo político? Como o senhor quer ser pré-candidato se o senhor votou contra o direito dos agentes de saúde?

Marcos Antônio: Na verdade nós temos grupos políticos, em Jataí eu faço parte do grupo do prefeito Humberto e em nível de estado sou do grupo do PDT e do governo federal também que faz parte da base da presidente Dilma. Quanto a questão dos agentes de saúde, eu votei de forma tranquila, consciente, estudei o projeto, que demorou, pois chegou na casa no final do ano passado e somente foi votado no mês de abril, inclusive respondendo a pergunta, o vereador que mais fez ementa para melhorar o projeto foi o vereador Marcos Antônio, mas na verdade os agentes, não todos, mas alguns queriam que o projeto não tivesse modificação nenhuma, queriam que permanecesse com as dúvidas que estavam desde a legislatura de 2007 quando foi feita a lei 2762, eu acho que a sociedade caminha para a frente, de forma a se ajustar na medida que caminha o desenvolvimento e no caso dos agentes não é diferente, nós votamos em uma lei para que pudesse disciplinar daqui para frente quem entrar no município como agente de saúde ele tem o norte, tem uma lei que disciplina realmente a forma correta de agir e aqueles que fizeram o registro 2762 eu disse claramente quando voltei que eles não precisavam preocupar por que a lei não retroage para prejudicar.

Público: Você concorda que não contem nenhum candidato que possa manter em frente e ganhar as eleições do Marconi?

Marcos Antônio: Eu acho que tem, por que agora o que precisa na verdade é a união da oposição, a oposição tem que se organizar e se articular, por que inclusive o grupo do PMDB hoje tem uma divisão interna muito grande justamente por que não definiu um nome e fica essa disputa entre o Junior e o Irís dentro de dois grupos políticos dentro do mesmo partido e acaba as vezes favorecendo quem já está administrando a maquina que no caso é o governador Marconi, mas se a oposição souber unir e souber realmente articular e fazer um projeto para Goiás, por que o povo quer saber que projeto eles tem para Goiás e não só nomes.

Público: No mandato passado, fiz um convite para o senhor vir até a Rua Capitão Serafim de Barros e as duas ruas acima da mesma, no Setor Jardim Rio Claro, pois grande parte ali não tem asfalto, passeio e o senhor até hoje não apareceu. O senhor pode ir lá para estar olhando a situação?

Marcos Antônio: Na verdade nós caminhamos pelas ruas da cidade toda e vemos sim os problemas, o problema é que nós vereadores, temos a limitação de fazermos a solicitação de requerimentos e ofícios para o executivo, e o executivo tem o seu planejamento e Jataí hoje irá passar por um grande recapeamento nas ruas, inclusive estive em Brasília essa semana falando com o Deputado Leandro e os 18 milhões do prótransporte2 já está liberado para o município de Jataí que vai entrar com a contrapartida de 1 milhão e o projeto e o sonho do prefeito Humberto é entregar essa administração até 2016 com 100% das ruas recapeadas.

Público: O governador quer que os funcionários da educação trabalhem 8 horas para ganhar salário mínimo, quem tem 14 anos de casa agora quer cortar a gratificação?

Marcos Antônio: Na verdade a forma do executivo não é fácil, por isso acho que precisamos de uma reforma política e tributária urgente para que o Brasil possa retornar os rumos e no governo do estado de Goiás, mas eu entendo e sempre defendo que um servidor da educação deve ter melhor remunerado e qualificado, por que acho que a educação é a base de toda transformação de uma sociedade.

Público: Sendo eleito, terá algum projeto para os assentados e a questão da sessão do projeto paraíso, vai continuar ou ser extinta?

Marcos Antônio: A questão dos assentamentos, essa reforma agrária no Brasil é isso, é feita a divisão e entrega-se a terra do pequeno produtor para o assentado, mas não dá condições para que o mesmo possa se tornar independente. Na verdade estamos precisando repensar o Brasil, não só Jataí e o estado de Goiás, mas todo o país e esse é o papel dos políticos, eu acho que na medida em que colocamos o nosso nome, queremos contribuir.

Ao final das perguntas, foi encerrada a entrevista com agradecimentos ao pré-candidato, Marcos Antônio do PDT.

Transcrição Nayara Borges – Site PaNoRaMa