Agronegócio Top Geral

IBGE indica queda no abate de bovinos de 20% nos primeiros três meses de 2020 em Goiás

Foto: Arquivo Portal PaNoRaMa
De acordo com o levantamento, o estado de Goiás apresentou redução no abate de bovinos e aves, porém, registrou números maiores na área de suínos nos primeiros três meses de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado...

O instituto brasileiro de geografia e estatística – IBGE, divulgou na manhã da última quarta-feira (10), os dados consolidados do primeiro trimestre de 2020 da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais.

De acordo com o levantamento, o estado de Goiás apresentou redução no abate de bovinos e aves, porém, registrou números maiores na área de suínos nos primeiros três meses de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Para o IBGE no 1º trimestre deste ano foram abatidas 617,3 mil cabeças de bovinos em Goiás, valor 20,3% menor que no mesmo período do ano passado, ou seja, 157,7 mil cabeças a menos. Com estes números o estado registrou a maior redução nominal e percentual dentre os estados brasileiros. A redução no peso de carcaças foi de 17,7%, ou 33,8 mil toneladas, alcançando uma produção de 157,3 mil toneladas.

A redução também foi observada no setor de frangos, onde Goiás apresentou variação negativa de 4%, 4,15 milhões de cabeças de frangos a menos no período avaliado em comparação com o mesmo período do ano anterior. No peso de carcaças o dado apresentado foi de 127,8 mil toneladas, queda de 6%.

Porém, o setor de suínos registrou números na contramão da queda observada em bovinos e frangos. Ainda de acordo com o IBGE, nos três primeiros meses de 2020, foram abatidos em Goiás 485,9 mil cabeças, valor 6,6% a mais que no mesmo período do ano passado, ou 30 mil cabeças a mais. Ainda em relação à suínos, houve um avanço na produção de carnes de 9,8%, com um ganho no peso de carcaças de 45,6 mil toneladas a mais no período avaliado.

O recuo na produção de bovinos e aves se deu pela redução no consumo interno destes produtos, já refletindo os impactos das medidas de contenção da Covid 19, que fecharam restaurantes e hotéis, grandes consumidores destes produtos. Além disso, o aumento do custo de produção impactou diretamente o setor de aves.

Já no caso dos suínos, o resultado reflete a forte demanda por esta proteína causada pelo aquecimento das exportações. Comparando o primeiro trimestre de 2020 com o de 2019, as exportações de carne suína in natura cresceram 33%.

Outro setor da pecuária que apresentou números menores no período avaliado foi o do leite cru, de acordo com o IBGE, nos primeiros três meses de 2020, foram captados 650,4 milhões de litros de leite em Goiás, valor 4,2% menor (-28,8 milhões de litros), quando comparado com o mesmo período do ano passado. O fator custo de produção tem impacto direto neste resultado, porém, não podemos deixar de considerar os baixos preços recebidos pelos produtores de leite desde 2019, que tem reflexo direto no recuo da produção.

Por fim, os outros dois produtos avaliados pelo IBGE apresentaram, da mesma forma, recuo na produção, o couro cru e os ovos. De acordo com o instituto, a produção goiana de couro cru recuou 10,8% e a de ovos 7,8%, alcançando, respectivamente, 737,8 mil unidades e 51,5 mil dúzias.

O couro sofreu impacto direto da redução dos abates bovinos e o setor de ovos repercute de forma muito forte o aumento nos custos de produção, causado pela valorização da soja e milho no estado.

Comunicação Sistema Faeg
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br

mm

Redação Portal PaNoRaMa

O Portal PaNoRaMa um dos pioneiros na área de cobertura de eventos e notícias de Jataí - Goiás, lançando uma forma única de trabalho e divulgação.

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Abrir conversa
Precisa de ajuda?