Foto: Divulgação

As exportações goianas de janeiro a outubro de 2018 chegaram a US$ 6,47 bilhões. Um aumento de 9,59% em relação ao mesmo período de 2017. Nos dez primeiros meses deste ano, o saldo comercial acumulou superávit de US$ 3,48 bilhões, superando o valor alcançado no mesmo período de 2017, que foi de US$ 3,24 bilhões.

Os dados foram compilados pela Superintendência de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento (SED), com base em informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Em outubro, Goiás alcançou superávit da balança comercial pelo 58º mês consecutivo, com US$ 257,08 milhões. No mês, foram exportados 283 diferentes produtos para 117 países. “Vamos chegar ao fim do ano com bons resultados. Nossa diversidade de produtos cresceu, assim como o número de países com os quais fazemos negócios. Alcançaremos os 60 meses com superávit graças ao empenho do governo estadual e dos empresários”, afirma superintendente executivo de Comércio Exterior da SED, William O´Dwyer.

O volume total de exportações foi de US$ 548,14 milhões no mês, uma retração de 5,59% em relação a outubro de 2017. O complexo soja ocupou o primeiro lugar no ranking de produtos exportados em outubro, representando 23,99% do total de exportações goianas. Com o valor de US$ 131,47 milhões em negócios, o crescimento foi de 16,86% em relação a outubro de 2017.

Na sequência, vêm as carnes (23,17% do total, com crescimento de 4,26% em relação a 2017) e as ferroligas (9,97% do total exportado, com retração de 0,25%). O complexo milho ocupou o quarto lugar, movimentando US$ 52,35 milhões, ou 9,55% do montante exportado em outubro. Em relação a 2017, a retração foi de 52,68%.

A China permanece como principal destino das exportações goianas, adquirindo 26,52% dos produtos vendidos. A novidade é inclusão da Espanha (8,66%) como segundo lugar no ranking. O país europeu importou de Goiás produtos como sulfeto de cobre, milho, soja, ferroligas, carnes bofinas, açúcar e produtos químicos orgânicos. Países Baixos (Holanda, com 6,22%) e Itália (4,89%) completam os primeiros lugares do ranking.

Em outubro, as importações tiveram crescimento de 41,09% em relação a outubro de 2017, com total de US$ 291,06 milhões. Em relação a setembro de 2018, a queda foi de 13,27%, o que influenciou no saldo comercial positivo. “No caso de Goiás, o aumento em outubro significa que estamos importando para produzir mais. Não é dependência. Estamos comprando insumos para agricultura e indústria farmacêutica para alavancar nossa produção”, analisa William O´Dwyer.

Os produtos farmacêuticos lideram o ranking de importados, com US$ 80,42 milhões, (27,63% do total). Adubos representam 20,08% do total e veículos e partes ficaram em terceiro lugar, com 12,66%. Entre os países de origem desses produtos, destaque para Estados Unidos, China e Japão.

Fonte: Comunicação Setorial SED
Foto Capa: Vânia Santana
Jornalismo Portal Panorama

75Shares

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui