“Eles são autônomos e têm direito a fazer isso” afirma secretário de saúde sobre a falta de cardiologistas no SUS

Notícias Top Geral

As condições precárias da saúde pública é fato notório à todos, entretanto, o que tem chamado a atenção da população jataiense neste momento é a falta de médicos especializados em cardiologia e neurologia no Centro Médico Municipal. Por conta disso, muitos pacientes com cirurgias marcadas não estão conseguindo realizar todos os exames pré-operatórios, correndo risco de vida. Além disso, qualquer pessoa que dependa dos serviços médicos realizados por estes especialistas no SUS estão sendo negligenciadas.

É importante salientar que, devido às irregularidades na saúde pública, foi realizada uma audiência na Câmara dos Vereadores no dia 9 de março, com a presença do prefeito Humberto Machado e do Secretário Municipal de Saúde Dr. Amilton Fernandes Prado, que abordaram e tentaram responder diversas questões relevantes que vem ocorrendo no município, como por exemplo, a falta de médicos nos postos de saúde e também a falta de cumprimento de horário por parte de alguns plantonistas no Centro Médico.

Na ocasião, a população havia reclamado das respostas vagas dadas pelo secretário. E agora, mais uma vez, o problema da falta de médicos ainda assola todos aqueles que precisam dos serviços prestados pelo SUS.

Em entrevista a uma emissora de TV, o secretário de saúde afirmou que há médicos em todos os postos de saúde e que este problema de falta de profissionais estava acontecendo apenas no início do ano. Além disso, nas unidades que há esta falta, pondera o mesmo, “eles têm o seu direito a se afastar, não é que não tem médicos, a pessoa está se recuperando desta situação (se referindo aos casos de licença maternidade e férias)”, já que segundo ele, os profissionais que saem de licença não podem ser substituídos, somente quando a saída é definitiva.

Sobre o Centro Médico, o secretário ressalta a questão de falta de verbas dos entes estaduais e federais. Entretanto, quando questionado pelo jornalista sobre a construção que está ampliando as instalações, o mesmo afirma que, como gestor, não haverá nenhum problema na quantidade de médicos, se houver financiamento e uma legislação que permita flexibilidade.

De acordo com os cardiologistas que prestam serviços no SUS, a elaboração da proposta salarial que fizeram tem como intuito a busca por mais recursos como uma sala adequada, suporte para pacientes com saúde mais debilitada entre outras e por isso não estão trabalhando. Mas o problema da falta de médicos, não é só da cardiologia, já que especialistas em neurologia também estão em falta no Centro Médico.

O Dr. Amilton Fernandes salienta que são vários fatores envolvidos nesta questão como a falta do profissional disponível no mercado e a adequação salarial, mais especificamente em relação à cardiologia e que foi feita uma proposta salarial pela Câmara de Vereadores compatível com a realidade e de acordo com aquela que os médicos haviam elaborado, porém ainda não há uma resposta dos cardiologistas, se voltarão ou não ao serviço.

Para contratar novos médicos, o que muitas pessoas têm pedido, o secretário ressalta que, por conta da lei de responsabilidade fiscal, há um limite de investimento em pessoas, ou seja, não há como contratar, mesmo se houver oferta, além do permitido pela legislação.

Rosana de Carvalho
Foto: Adriana Vilela – Arquivo Pn7
Jornalismo Portal Panorama

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.