Como proteger os animais domésticos no verão

Notícias Top Geral

cao verao 2014 cuidados com animais site panoramaCom o verão o clima de calor intenso se acomoda, a temperatura se eleva cada vez mais e com ela a nossa preocupação quanto à saúde e o bem-estar dos animais domésticos.

Assim como nós seres humanos, os animais de estimação também tem a necessidade de se adaptar ao calor e/ou umidade. Como os mesmos não tem o poder de se organizar cabe ao dono ou responsável fazer pequenas alterações na rotina do cão ou gato, já que as mesmas garantem a saúde desses animais.

Neste período alguns problemas mais comuns apresentados em cães ou gatos são hipertermia, infestações de ectoparasitas, picadas de mosquitos e pernilongos, viroses e doenças de pele.

Para evitar que seu animal de estimação sofra problemas, preservar a saúde do mesmo e deixa-lo bem alegre e longe do estresse, aqui vai algumas dicas:

Atenção com horários:

Mesmo que o seu cão adore ficar do lado de fora brincando no quintal, deixe as brincadeiras mais agitadas para depois do pôr-do-sol. Isso reduz o risco de insolação, principalmente para os cães que estão acima do peso ideal. Busque levar o seu cão para o passeio antes das 9:00 e depois das 18:00. É importante lembrar que, pelo fato de seu cão estar mais próximo do chão, ele acaba sentindo muito mais calor, recebendo todo o aquecimento que vem do chão e asfalto.

Mantenha sempre água por perto:

Jogando bolinha no parque ou descansando no quintal, deixe sempre muita água disponível e com fácil acesso para o seus animais. Tigelas de água dobráveis são fáceis e práticas de se colocar em mochilas para levar aos passeios.

Quando você for ficar fora durante um tempo, um truque para manter os cães hidratados é colocar uma tigela de água no freezer durante a noite. Assim, eles terão água fresca durante um tempo maior enquanto o gelo derrete.

Outra dica é encher o brinquedo favorito do animal com ração umedecida e congelar depois. Os cães ficarão muito felizes em lamber as guloseimas enquanto descongelam.

Observe sinais de superexposição:

Cães ofegam para se refrescar. Se notar que ele está bastante ofegante, leve-os para um local fresco e ofereça bastante água. Em casos extremos, os animais podem ter febres altas, taquicardias, coagulação intravascular disseminada ou até mesmo vômitos, estes são sinais de insolação ou hipertermia o que requer ir com urgência ao veterinário. Isso ocorre por que os cães não transpiram como nós e a respiração é a única forma de controlar o processo de refrigeração e manutenção da temperatura corpórea ideal. No caso de hipertermia a temperatura corporal pode atingir até 42° C. Em quadros assim, além dos sintomas citados, podem ocorrer edemas pulmonares, paradas cardíacas e até mesmo entrar em coma, dá-se aí a importância de se correr para o veterinário.

Proteja os cães de focinhos curtos:

Alguns cães sofrem riscos de doenças relacionadas ao calor, porém qualquer cão de focinho achatado e muito curto sofre a síndrome braquicefálica. Em função dos narizes curtos de algumas raças como a boxer, buldogue inglês, buldogue francês, pug, Boston terrier, dentre outros, eles têm menor área de superfície e traqueias menores que o normal. Alguns cães braquicefálicos podem até falecer se expostos ao calor intenso.

O nariz achatado e curto os inibe de se refrescarem efetivamente em um dia quente. Embora isso ocorra com cães de tais características, eles não são os únicos que correm riscos em dias quentes. Os cachorros sofrem mais calor do que as pessoas porque não transpiram por meio da pele, mas sim através da salivação e das almofadas das patas. Portanto, evite submeter os cães a situações de intenso calor ambiental como banho e tosa, passear em horários muito quentes, deixa-los parados dentro de carros ou em viagens longas, dentre outras situações de estresse. Nessa época do ano, os animais devem ficar em ambientes agradáveis, sombreados e com água fresca disponível.

Proteção contra ectoparasitas e insetos:

Durante o calor outros fatos muito comuns entre os cães é a proliferação de pulgas e infestação de carrapatos. Neste período os banhos devem ser menos frequentes, pois diminuem o período de ação da maioria dos produtos usados no controle de ectoparasitas. Em casos assim, manter a pelagem do animal curta ajuda na visualização dos possíveis parasitas. Na hora do banho, é importante observar se existe ou não a presença de parasitas, lesões por picadas, áreas avermelhadas pelo corpo ou até mesmo hematomas. No caso de existir a presença de pulgas ou carrapatos, deve se procurar um veterinário para indicar a aplicação dos preventivos, antiparasitários e se necessário exame de sangue.

Podem ocorrer casos de picadas de insetos transmissores de doenças como a leishmaniose e a dirofilariose. Essas picadas geralmente ocorrem em regiões sem pelos como na ponta do nariz, orelhas, ao redor dos olhos e abdômen, onde é possível visualizar as lesões causadas pelas picadas com coceiras intensas no local, portanto fique de olho no corpo do seu animal.

É importante lembrar que os ferimentos dos animais nunca devem ficar expostos, por que os mesmos podem atrair moscas que depositam suas larvas, provocando infecções que traz grande incomodo aos animais. Alguns métodos de prevenção desses casos é fazer o uso de coleiras, sprays repelentes, controle de mosquitos com telas nas janelas, controle de lixo, água parada e outros resíduos ambientais que possam atrair tais insetos.

Evite o câncer de pele:

O câncer de pele é outra grande preocupação. Os animais de pelagem escura tendem a absorver ainda mais os raios de sol. Pelagem branca requer proteção solar adicional. Cães e gatos brancos podem desenvolver o câncer de pele, principalmente na ponta do nariz e nas orelhas, devido à exposição no sol. Aqueles cães que adoram deitar de costas para o sol e barriga para cima desenvolvem fácil o câncer de pele na barriga.

Se o seu cão tem a pelagem branca, procure usar protetor solar próprio para cães. Opte por versões com dióxido de titânio. Algumas pinceladas no nariz, orelhas e outras áreas mais expostas já são suficientes antes de ir brincar no sol.

Outras Dicas:

Apesar de ninguém gostar de ficar preso em casa, há muitas atividades que podem ser feitas para queimar calorias e a energia de seu cão dentro de casa, uma opção são as esteiras para animais. Busque ventilação para os locais fechados. Tose o pelo e tenha sempre água fresca disponível para seus animais domésticos. Procure deixa-los alegres e sem estresse, alimente-os bem, tenha higiene com os mesmos, ajude-os a praticar atividades físicas, sempre os identifique com nome na coleira ou outros métodos, castre-os se necessário e não deixe de ter cuidados médicos.

Nayara Borges
Fotos: Alex Alves
Jornalismo Portal Panorama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.