Saúde e Bem Estar Top Geral

Anvisa retira do mercado quase 200 lotes de remédios para hipertensão

Substância potencialmente propícia a causar câncer foi detectada

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde o ano passado, começou um trabalho de fiscalização de remédios para hipertensão. Os medicamentos analisados eram compostos por : valsartana, losartana e irbesartama.

A retirada foi em função da possibilidade de, em sua fabricação, originar a presença de nitrosamina, uma substância que em grande quantidade poderia causar câncer.

Até dado momento, quase 200 lotes, presentes em 26 medicamentos, evidenciaram esse problema e foram retirados do comércio, muitas vezes indicado pela própria empresa responsável pela produção.

Este, um fenômeno que abrange vários outros países além do Brasil, está sendo evitado por meio da saída de mercado como forma de precaução, haja vista, a periculosidade que se pode culminar de tal composto e uso do mesmo.

Entretanto, isso ocorre apenas em alguns indivíduos que foram expostos durante  muito tempo a altas concentrações.

Autoridades europeias estimam que, a cada seis mil pessoas que usaram o medicamento com contaminação em sua dose máxima, uma desenvolveria tumor em decorrência da nitrosamina. É um risco de 0,00017%.

Por isso, a Anvisa declara a importância de não deixar o tratamento sem prévia consulta com seu médico de confiança, pois, a hipertensão também é um quadro perigoso que, sem o controle devido, aumenta a possibilidade do indivíduo ter um infarto, AVC, doença renal crônica e outros.

“A identificação dessas impurezas ocorreu de forma inesperada e pode estar relacionada à forma como a substância ativa (o insumo) é fabricada. Por isso, a Anvisa passou a investigar o caso no intuito de identificar se os medicamentos no mercado poderiam estar contaminados”. Elencou o órgão em comunicado oficial.

Ressaltou ainda a importância de, enquanto usuário, ter cautela e não ficar apreensivo em relação ao seu medicamento costumeiro e reafirmou o compromisso com a fiscalização veemente e intensa.

Carolina Craveiro Carvalho
Foto Capa:Internet
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br