Privatização das BRs 364 e 060 divide a opinião de motoristas em Goiás

Privatização das BRs 364 e 060 divide a opinião de motoristas em Goiás

12 de fevereiro de 2014 0 Por Alex Alves

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_facebook type=”standard”][/vc_column][/vc_row]

O governo federal anunciou, no final de janeiro, um pacote com cinco novos trechos de rodovias que serão concedidos à iniciativa privada. Em Goiás, a BR-364 e um trecho da BR-060 devem ser contemplados com a medida, que ainda passa pela fase de estudos, segundo informações do Ministério dos Transportes. O assunto divide a opinião dos motoristas que circulam pelas vias.

Alguns criticam a privatização, já que a concessionária ganhadora poderá explorar pedágios. “Eu acho um absurdo a gente ser obrigado a pagar mais isso, em um país com a carga tributária tão alta”, disse o zootecnista Fernando de Oliveira. Para o administrador Vilmar Guimarães, circular pelas rodovias vai sair caro. “Acho muito ruim, pois tenho que circular muito nessas regiões e terei que pagar muitas taxas”, disse.

Mas para outros condutores a concessão é vista com bons olhos. Um dos argumentos é de que as rodovias devem ficar mais conservadas. “Se for para a melhoria, não é tão ruim, pois vai melhorar as condições da BR e terá assistência na estrada para os motoristas”, ressaltou o caminhoneiro Fernando dos Anjos.

A BR-364, que em Goiás passa pelos municípios de Jataí e Mineiros, tem fluxo diário de mais de 4,5 mil caminhões. A rodovia liga Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais e é responsável pelo escoamento de boa parte da escoação agrícola do estado.

Em Jataí, recentemente, foi construído um viaduto no entroncamento entre as BRs 364 e 060. Apesar desse investimento, quem deve tomar conta das rodovias é a iniciativa privada. Segundo o projeto do governo, as concessões serão de 30 anos para os cerca de 650 km da BR-364, que começa em Rondonópolis (MT), passa por Goiás e segue até a divisa com Minas Gerais.

O trecho da BR-060 que deve ser privatizado vai de Jataí a Goiânia. A via passa por obras de duplicação. O investimento nessa estrada chega a R$ 1,5 milhão.

O Ministério dos Transportes informou que o contrato de concessão foi assinado pela presidente Dilma Rousseff no último dia 31 de janeiro. Depois disso foi aberto o período de estudos, para que as empresas interessadas nos trechos goianos se manifestem. Ainda não há previsão de quando será realizado o leilão que definirá o vencedor.

Do G1 GO, com informações da TV Anhaguera