Automóvel Top Destaque

O que devo fazer se meu carro foi guinchado?

Foto: Internet
Primeiramente, preparar o bolso. A Equipe Panorama separou algumas dicas para você saber o que fazer quando se deparar com essa situação!

Não basta o pagamento de multas e os pontos retirados da carteira, ter o veículo guinchado também envolve o pagamento de taxas para sua liberação.

Se você passar por essa situação, mantenha a calma e se atente às dicas que nossa equipe preparou a seguir.

Por que guincharam meu carro?

Essa é a primeira pergunta que muitos motoristas confusos fazem quando se deparam com a ausência do carro. Geralmente, os casos acontecem por estacionamento em local proibido ou de forma irregular.

Parar muito longe do meio fio, na calçada, na contramão, ao lado de outro carro em fila dupla, em guia rebaixada ou em frente à uma garagem são algumas formas de cometer a infração.

Estacionar em áreas de carga e descarga, em locais fora do horário permitido ou em vagas destinadas à idosos ou deficientes sem a identificação de permissão necessária são mais exemplos.

Vale destacar que, se o motorista estiver dentro do carro ou próximo no momento em que a autoridade de trânsito notificar, a situação pode ser resolvida sem o recolhimento do veículo.

Como saber que o carro foi realmente guinchado?

Isso é bem simples, não precisa achar que o seu bem foi furtado. Quando o carro é recolhido, um cavalete é colocado no local onde ele estava estacionado informando o ocorrido e um telefone para obtenção de mais informações.

E agora, o que fazer para ter o veículo de volta?

É necessário que o proprietário do veículo, ou seu representante legal, compareça ao departamento responsável pelas multas de trânsito de sua cidade.

Ele deve portar o certificado do registro de licenciamento do veículo atualizado e RG, ambos acompanhados de uma cópia simples.

Quanto devo pagar?

Essa é a pergunta que causa até frio na barriga. Para que a liberação do veículo ocorra, é importante que não haja nenhuma multa ou parcela do IPVA pendente. Assim, o primeiro passo é quitar qualquer débito que possa existir.

Além disso, o motorista deve pagar a diária do lugar em que o veículo ficou retido, como se fosse um estacionamento. E também deve pagar pelo serviço de guincho. Tais valores podem variar de acordo com a localidade.

Após o pagamento das taxas, é necessário comparecer ao pátio com a liberação fornecida para retirada do veículo, juntamente com o certificado de registro e licenciamento de veículo e uma identificação estabelecida pelo DAT.

Mas e se eu não conseguir retirar o veículo?

Bem, nesse caso, conforme previsto no CTB, se a retirada não for feita em até 60 dias, o veículo será leiloado.

Por via das dúvidas, é melhor evitar essa situação onerosa e se atentar ao local de estacionamento não é mesmo?

Larissa Pedriel
Foto Capa: Internet
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br

Enquete:

Você sabe quem são os dez vereadores jataienses eleitos em 2016?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...