Astrorama

Mapa Astral: Diga adeus ao horóscopo tradicional

Foto: Thaysa Alves
Saiba o que é e como fazer o seu

Finalmente inauguramos a coluna Astrorama! Depois de inúmeros pedidos e incentivos, eu, Larissa, venho até vocês compartilhar um pouquinho dessa minha paixão, e desejo que possamos caminhar juntos nessa jornada astrológica!

A Astrorama surgiu com o objetivo de aproximar as pessoas da verdadeira astrologia, e ensinar passo a passo como ela funciona. Começando de conceitos básicos até os mais avançados, vamos contemplar momentos incríveis de autoconhecimento.

Tudo começa pela desconstrução de tudo o que você entendeu por astrologia até agora, especialmente em relação aos horóscopos tradicionais.

Ao contrário do que muitos imaginam, a astrologia não tem o poder de prever o futuro, e muito menos é adivinhação. Assim, os horóscopos que costumamos ver em revistas e jornais são apenas formas de entretenimento, sem fundamento astrológico.

A verdadeira astrologia se manifesta através da análise do mapa astral, ou mapa natal, da pessoa. E a mesma é uma ferramenta que pode apontar tendências de personalidade e auxiliar consideravelmente no autoconhecimento.

Podemos ver, através do nosso mapa, o porquê de determinada característica, como trabalhar pontos difíceis da personalidade e como estar em equilíbrio consigo mesmo. Portanto, a prática leva a um grande crescimento pessoal.

Mas vamos ao assunto que eu já enrolei demais.

Afinal, o que é um Mapa Astral?

Um Mapa Astral é, como costumo dizer, uma fotografia do céu no momento em que a pessoa nasceu. Alguns astrólogos dizem que é “a forma como a pessoa enxergou o universo ao nascer”.

O Mapa mostra a exata posição dos astros e dos signos do zodíaco no momento do nascimento e o tipo de influência que os mesmos terão ao longo da vida. O cálculo é feito através de informações de base astronômica, matemática e geométrica.

Vou abrir um parênteses aqui, para justificar a crença nessas influências. Sabemos que os povos, desde a Antiguidade, estavam cientes da influência dos astros na Natureza. Hoje, cientistas confirmam isso com veemência. Portanto, por que nós, como parte da natureza, não seríamos influenciados?

Voltando. É como se o mapa fosse a impressão digital de cada ser humano, uma configuração única do céu pertencente àquela pessoa. Isso porque, dotado de inúmeras particularidades, uma configuração do céu só se repete no prazo mínimo de 26.000 anos.

Assim, vê-se claramente a diferença entre o senso comum de astrologia, que busca generalizar com base no signo solar, e a verdadeira astrologia, que se manifesta de forma única em cada ser.

Muitas pessoas ainda acreditam que exista apenas o signo solar, aquele que a gente fala baseado na data de aniversário. Porém, o que poucos sabem, é que nosso mapa é formado por 12 signos localizados em 12 casas totalmente diferentes.

E aí, já ficou convencido a fazer o seu mapa? Não se preocupe, é muito simples e será a sua tarefa de casa.

Você precisará de sua data, hora e local de nascimento, facilmente encontrados na certidão de nascimento. Depois, é só entrar em www.astrolink.com.br e fazer seu mapa gratuitamente.

Na próxima semana vou ajudar vocês a interpretarem o próprio mapa. A começar pelo significado do Sol em cada signo.

Deixem nos comentários o signo solar de vocês e o que acharam da coluna!

Lembrando que para saber mais, é só acompanhar o Astrorama pelo Instagram.

@larissapedriel
@portalpanorama

Larissa Pedriel
Foto Capa: Thaysa Alves
panorama.not.br

mm

Larissa Pedriel

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Enquete:

Você se lembra em qual candidato(a) votou para vereador(a) em 2016?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...