Política

Governo de Goiás preencheu menos da metade dos cargos de 2º escalão

Levantamento feito pelo POPULAR mostra que, em duas semanas, apenas 46% das superintendências e diretorias no Estado foram definidas pelo governo Ronaldo Caiado (DEM)...

Em duas semanas, o governo Ronaldo Caiado (DEM) preencheu menos da metade dos cargos de segundo escalão da administração do Estado de Goiás. Levantamento feito pelo POPULAR com base em publicações do Diário Oficial e do cadastro de autoridades publicado pelo site da Secretaria de Estado da Casa Civil até ontem, apenas 46% dos postos de superintendências e diretorias da administração direta tinham titulares.

Foram contados 131 postos que compõem a atual estrutura do segundo escalão do Poder Executivo, sendo apenas 61 deles atualmente ocupados. No dia 2 de janeiro, o governador baixou decreto exonerando todos os comissionados do Estado mas, desde então, outras publicações excluíram alguns servidores do primeiro decreto, bem como também fizeram nomeações gradativas para as respectivas secretarias.

Chama atenção casos como da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), que pela atual estrutura conta com 15 superintendências, mas apenas duas delas estão ocupadas. Também têm menos da metade dos postos com nomeações publicadas a Controladoria Geral do Estado (CGE), a Secretaria da Casa Civil, a Secretaria Cidadã, a Secretaria da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), a Secretaria do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), Secretaria da Saúde (SES) e a Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Segundo o secretário da Casa Civil, Anderson Máximo, não existe pressa para preencher todos os espaços da atual estrutura, prevista para ser alterada em breve. “O governador tem pedido cautela aos secretários para pedidos de nomeação. O ideal é termos o mínimo necessário para dar funcionamento à maquina pública com qualidade na prestação de serviços”, disse.

O titular da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), Pedro Sales, afirma que as nomeações devem continuar nos próximos dias. “Editamos, no início do ano, um decreto com mais de 5 mil exonerações. Agora, as equipes de cada secretaria estão sendo recompostas, mas isso é um processo paulatino. A equipe da Casa Civil tem trabalhado muito para atender a todos os secretários e as nomeações vão continuar nos próximos dias”, disse o secretário.

Mudanças

Sales comanda uma equipe de servidores da Casa Civil e da Segplan, também auxiliados por procuradores, para elaboração de uma reforma administrativa. As alterações envolverão a criação e a extinção de pastas e, consequentemente, dos demais cargos do segundo e terceiro escalões sem ocupantes.

Isso explica, por exemplo, o esvaziamento da Secretaria do Trabalho, que deixará de existir. Apenas um superintendente foi nomeado para a pasta. Já os futuros secretários da Agricultura, do Esporte e da Cultura estão nomeados em superintendências de maneira provisória.

“Estamos avançando estudos em relação às propostas feitas pelos titulares das pastas para as estruturas de cada secretaria. O governo fez uma proposta inicial, ainda no âmbito da equipe de transição, e agora cada secretário tem feito o ajuste que acha necessário dentro da realidade de cada pasta”, disse Sales.

A proposta final deve ser encaminhada para apreciação da Assembleia Legislativa de Goiás até fevereiro. As alterações deverão atingir o primeiro, segundo e terceiros escalões e a expectativa é de um corte de até 20% nos gastos com pessoal.

Foto: Divulgação

Fonte: O Popular
Foto Capa: Arquivo Panorama
Jornalismo Portal Panorama

Enquete:

O Panorama quer saber a sua opinião: Educação sexual nas escolas de Jataí. Você é contra ou a favor?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...