GOMIDE: Pré-candidato ao Governo de Goiás faz visita a Jataí

GOMIDE: Pré-candidato ao Governo de Goiás faz visita a Jataí

15 de fevereiro de 2014 0 Por Alex Alves

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_facebook type=”standard”][/vc_column][/vc_row]

Prefeito de Anápolis e pré-candidato ao Governo de Goiás, Antônio Roberto Gomide (PT) e o empresario jataiense Eroni Toledo

Antônio Roberto Gomide (PT) e o emp. jataiense Eroni Toledo – VEJA MAIS FOTOS CLIQUE AQUI

Após o pré-candidato Júnior Friboi (PMDB) e o vice-governador de Goiás José Elielton (PP), representando o governador Marconi Perillo (PSDB), agora foi a vez do pré-candidato a governador Antônio Gomide (PT), passar por Jataí.

Na manhã deste sábado (15), o prefeito de Anápolis e pré-candidato ao Governo de Goiás, Antônio Roberto Gomide (PT), cumpriu agenda em Jataí. Esteve reunido com lideranças petistas, autoridades e membros da comunidade jataiense no Plenário João Justino de Oliveira, no prédio do legislativo.

Na oportunidade o pré-candidato petista concedeu entrevista aos meios de comunicação presentes, destacando seu trabalho à frente da Prefeitura de Anápolis e sua grande aceitação naquele município.

Gomide deixou bem claro que o momento é de percorrer todo o estado de

Antônio Roberto Gomide (PT) e a Presidenta do Dir. Mun. do PT, Rosa Helena -  VEJA MAIS FOTOS CLIQUE AQUI

Antônio Roberto Gomide (PT) e a Presidenta do Dir. Mun. do PT, Rosa Helena –
VEJA MAIS FOTOS CLIQUE AQUI

Goiás buscando unir a base de oposição, mostrando articulação política entorno da reeleição da Presidenta Dilma (PT) e ganhar as eleições para governador. Outro ponto importante das visitas realizadas em vários municípios goianos é buscar espaço para que seu nome cresça nas pesquisas para que no próximo dia 29 o mesmo tenha a possibilidade de colocar o seu nome definitivamente para candidato ao governo de Goiás.

O petista acredita que chegou a vez de poder mostrar a política que Goiás ainda não vivenciou, alinhando o Estado ao nível nacional com as melhorias que o Ex-presidente Lula em oito anos e a Presidenta Dilma em quatro anos fizeram pelo Brasil.

Nas eleições deste ano, Gomide garante que não haverá ruptura entre PMDB e PT, os dois partidos caminharão juntos, se não der certo no primeiro turno estarão juntos no segundo turno. “O importante é que essa aliança nacional

Antônio Roberto Gomide (PT) e a Tesouraria Geral do SINTEGO, Euzébia de Lima (Bia) - VEJA MAIS FOTOS CLIQUE AQUI

Antônio Roberto Gomide (PT) e a Tes. Geral do SINTEGO, Euzébia de Lima (Bia) – VEJA MAIS FOTOS CLIQUE AQUI

vai se manter, nós queremos fazer que este trabalho se mantenha até o segundo turno“, ressalta o pré-candidato.

Respondendo a pergunta de nossa repórter, Gomide deixa bem claro que Lula e Dilma serão grandes cabos eleitorais em sua campanha, “Lula é um forte cabo eleitoral que precisamos pegar nas mãos e acreditar que o trabalho que ele fez depois de oito anos, um governante sair com aprovação de 85% no Brasil significa que ele estava em um caminho certo e foi aprovado pela população, então é um bom cabo eleitoral…” afirma.

Alex Alves / Fotos: Vânia Santana – Site PaNoRaMa

Confira a entrevista na íntegra do pré-candidato a Governador de Goiás Antônio Gomide (PT):

– Qual o motivo de sua visita à cidade de Jataí nessa manhã de sábado?

Primeiro o Partido dos Trabalhadores tirou uma posição de pré-candidatura para o estado de Goiás neste ano de 2014. Então a partir disso, nós entendemos que o partido dos trabalhadores hoje, que tem um projeto nacional, tem praticamente tudo que é necessário para eu possa apresentar na minha pré-candidatura. Eu que hoje sou prefeito da cidade de Anápolis, tenho 5 anos de gestão na cidade, tivemos uma boa aprovação e uma gestão com credibilidade junto à população.

Podemos hoje oferecer um nome ao PT no sentido de poder percorrer todo o estado de Goiás mostrando credibilidade, gestão e articulação política, para que a gente possa unir as oposições em Goiás e poder ganhar o governo de Goiás.  Por isso estamos fazendo esse trabalho dentro do PT, buscando lideranças e partidos aliados para que possamos primeiro garantir a reeleição da presidente Dilma em 2014 e possamos também conquistar o espaço nas oposições para que o nosso nome cresça e para que possamos ter uma pesquisa qualitativa. Já agora a partir do dia 29 de março a possibilidade de colocar o nosso nome definitivamente para o governo de Goiás nesse pleito em 2014.

– Esse pleito tem estrutura para garantir uma candidatura dessas e enfrentar uma “máquina” do governo estadual?

O PT já mostrou nesses 34 anos de vida que muito fez pelo Brasil e é importante ressaltar que são poucos os partidos brasileiros que tiveram oportunidade de nascer como o PT nasceu em 80, participar de eleições municipais, estaduais e nacionais e ter ainda, depois de 34 anos a possibilidade de ter 2 vezes um presidente da república e a primeira presidenta do Brasil eleita pelo PT, então é extremamente importante dizer que também, no estado de Goiás, chegou a nossa vez de podermos sintonizar a política que nós queremos em Goiás, com aquilo que está acontecendo em nível nacional e que Goiás ainda não viveu, ou seja, um partido que esteja aliado politicamente em Goiás e com aquilo que está acontecendo em nível nacional com a presidente Dilma  e que nós entendemos que foi uma revolução e uma grande melhoria naquilo que o presidente Lula em 8 anos e a presidente Dilma em 4 fez pelo Brasil.

– Caso a sua candidatura se confirme, pode ocorrer uma ruptura entre o PT e PMDB no Estado que hoje caminham juntos?

Não, o PMDB e o PT caminharão juntos. Se no 1º turno não der certo, gostaríamos de estar juntos no 2º, o importante é que aqui essa aliança nacional e estadual se mantenha. Queremos fazer com que esse trabalho se mantenha até no 2º turno, então é exatamente para isso que temos a eleição de 2 turnos, para que possamos não apenas ter o candidato do partido, mas poder ter o candidato do eleitor.

É o eleitor que vê e pode mensurar aquilo que uma pesquisa qualitativa está pedindo nas ruas, nós sabemos que o nosso adversário é o PSDB, são 16 anos de um governo PSDB, mas seu tempo já acabou há muito tempo e não existe possibilidade de fazer mais nenhuma promessa para o governo goiano. Nós estamos vendo a falta de segurança nas cidades, de saneamento, problemas na educação, o funcionalismo público totalmente desmotivado e queremos juntos com o PMDB reconstruir essa situação onde as oposições têm todas as chances de ganhar, então nós estaremos trabalhando para a unidade já no 1º turno, se não for possível no 1º, estaremos juntos no 2º, mas o PMDB é aliado nosso para que a gente possa ganhar e governar bem o estado de Goiás.

– O senhor teria o Presidente Lula como o seu principal cabo eleitoral?

Ele é um forte cabo eleitoral, o qual precisamos pegar na mão e fazê-lo acreditar no trabalho que ele fez depois de 8 anos. Um governante sair com uma aprovação de 85% no Brasil significa que ele estava no caminho certo e que a população aprovou. Então é um bom cabo eleitoral como a presidente Dilma. Nós buscamos a reeleição da presidente Dilma e entendemos que a mesma, dando continuidade ao governo do presidente Lula conseguiu alavancar hoje o Brasil, que está em pleno emprego. Nós temos o centro de formação qualificando as nossas pessoas e precisamos de um governo que possa alinhar a política nacional com o que queremos em cada cidade e Jataí não é diferente, precisamos de um governador perto da cidade, um governador que possa ajudar o prefeito, alinhar o que está acontecendo em rede federal com o que está acontecendo nas cidades como por exemplo segurança. Nós sabemos que segurança é um grande problema que está acontecendo em nossas cidades, eu estou em Anápolis, Jataí, Rio Verde e em toda a região sudoeste. O responsável pela segurança é o Estado, você vê a polícia civil totalmente desmotivada, a polícia militar sem o efetivo, se você comparar o efetivo da polícia militar em Jataí desse ano com 10 anos atrás, possivelmente há 10 anos tinha mais efetivos do que agora que a cidade cresceu. Ou seja, são 16 anos do PSDB e entendo que esse projeto já está esgotado. Então o que queremos para o eleitor é buscar a esperança de poder ver um Estado melhor, uma administração com gestão onde as pessoas olhem não mais com promessa, mas possam ver um governo olhando para cada região e pensando na mesma com um plano de meta de trabalho, na educação, que deve ser prioridade e devemos apostar na UEG. A UEG é uma universidade pública de Goiás, sua sede é dentro da cidade de Anápolis e o que temos visto é que os alunos que estão saindo da UEG estão falando mal da universidade e que os professores da faculdade estão desmotivados, então precisamos de um governo que acredite na educação e não só no marketing, na televisão, no jornal ou nas placas. Queremos fazer com que as promessas realmente saiam do papel e a população que quer ver um estado melhor, possa ver resultados e é esse resultado que entendemos que a população de hoje possa acreditar, que o PT e o PMDB juntos têm credibilidade e gestão e assim queremos fazer a articulação política necessária para que aquilo que está acontecendo em nível nacional possamos trazer também para o estado de Goiás.

– Durante esses encontros regionais do PT em Goiás neste ano de 2014, ao exemplo do que acontece neste momento em Jataí-GO, como o senhor tem visto a receptividade pela pré-candidatura de Antônio Gomide ao governo de Goiás em relação ao do PMDB?

Vejo que estamos no caminho certo. Percebo que na medida em que colocamos há duas semanas o nosso nome, já percebemos uma mexida no tabuleiro desse jogo político. Àqueles que estavam em uma situação muito cômoda ou às vezes até dentro de uma margem de folga pensando que já estava definido. Tinha gente que já até pensava ter ganhado as eleições. Então na medida em que nós entramos colocando nosso nome e o PT, temos caminhado e com humildade vamos convencer.

– Prefeito, o senhor tem grande aprovação em Anápolis, mas em outros municípios do estado não há essa mesma aprovação. Como o senhor pretende fazer para alcançar um índice mais alto em aprovação da população?

A melhor coisa que tem é que onde você é conhecido, você é bem quisto e bem votado. O duro são aqueles que já estão 16 anos no governo, e quando você faz uma avaliação, apesar de todos já conhecerem só tem 16% que aprovam, ou seja, tem mais de 70% que reprovam o estilo de governar. Então hoje em Anápolis, aonde eu tive a oportunidade de ser prefeito, eu tenho uma boa avaliação e vou levar e replicar, tentando fazer com que esse projeto possa servir para o Estado e é nesse sentido que vamos trabalhar. Fazer política é você dar atenção às pessoas e servi-las, então com o que fizemos em Anápolis, não tenho dúvidas de que possamos estar fazendo também em todo o estado de Goiás. É muito bom podermos ver uma cidade como Jataí crescendo e podendo agora ter um governador que conhece bem a região e que pode ajudar o prefeito da cidade. Podemos ainda potencializar mais suas receitas, melhorar a economia do estado e ainda o desenvolvimento social. O mesmo acontece quando o estado dá as mãos aos municípios, o prefeito sozinho com suas receitas não é capaz de fazer saúde, educação, segurança, transporte, entre outros, isso porque a receita do município é limitada, mas teremos o governador do lado das cidades e eu como prefeito, não tenho dúvida de que vou dar toda atenção às cidades, regiões, conversando com os prefeitos, com as lideranças da região para que assim possamos crescer o estado de Goiás não só em questões econômicas, mas também no desenvolvimento social.

Transcrição: Nayara Borges de L. T. Moraes