Goiás é o 2º em cargos comissionados no País

Goiás é o 2º em cargos comissionados no País

18 de março de 2014 0 Por Vânia Santana

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_facebook type=”standard”][/vc_column][/vc_row]

Goiás é o segundo colocado no ranking de cargos comissionados em gestões estaduais no País, aponta a pesquisa Perfil dos Estados Brasileiros (Estadic 2013), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada na última quinta-feira. Apesar das sucessivas promessas de cortes feita pelo governador Marconi Perillo (PSDB) e da aprovação da lei que estabelece redução de 3,3 mil cargos, o Estado aumentou em 141 o número de comissionados de 2012 para 2013.

O levantamento mostra ainda um aumento de mais de 4,5 mil funcionários sem vínculo com o Estado (prestadores de serviço, cedidos por outras entidades e contratados administrativamente, segundo o IBGE) em um ano. Os dados se referem a contratos temporários, sendo a maioria da Educação, segundo informações da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan). Enquanto em 2012 o governo goiano contava com 14.843 servidores sem vínculo, em 2013 foram contabilizados 19.389.

De acordo com a pesquisa, o governo goiano tem 7.285 comissionados na administração direta (secretarias, agências e órgãos ligados diretamente ao Executivo) e 3.031 na administração indireta (autarquias, empresas públicas, sociedades de economia mista e fundações), totalizando 10.316. Goiás só perde para São Paulo (veja ranking no quadro), o maior Estado brasileiro, que tem 14.731 comissionados em toda a administração.

No levantamento referente a 2012, o governo goiano também ocupava a segunda colocação, com 10.175 comissionados. O IBGE chegou a divulgar que Goiás era o Estado com a maior quantidade no País, mas São Paulo enviou correção dos dados, informando que o total naquele ano foi de 13.805 comissionados.

Antes mesmo da divulgação da pesquisa do IBGE de 2012, o governador já havia prometido cortar cargos comissionados (leia reportagem nesta página). Porém, além de não conseguir alcançar a redução, o governo ainda registrou um leve aumento (de 1,3%). A nova previsão do governo é promover os cortes até o fim deste mês.

A pesquisa de 2012 também mostrava que os comissionados do governo de Goiás são os menos qualificados do País. Quase 50% dos funcionários em cargos de confiança cursaram apenas o ensino fundamental, nunca foram à escola ou não concluíram a 1ª série.

Segundo os dados de 2013, o terceiro colocado no ranking de comissionados, Bahia, tem 941 a menos que Goiás. O Distrito Federal, que historicamente concentra grande quantidade de não efetivos, tem 7.728 comissionados.

Na lista que considera apenas a administração direta, Goiás ocupa a terceira posição, com 7.285 comissionados. São Paulo tem 8.167 e Distrito Federal, 7.303.

Os dados mostram redução de 4,1 mil servidores efetivos de 2012 para 2013 na administração direta. Na indireta, houve aumento de 551. Enquanto isso, o número de servidores sem vínculo permanente cresceu em 3.896 na administração direta e 650 na indireta.

Na análise de servidores sem vínculo permanente, o governo goiano (19.389) ocupa a 10ª posição no ranking nacional. Minas Gerais lidera a relação, com quase 90 mil. São Paulo tem 61,5 mil e o Paraná, 37,1 mil.

Fonte: O Popular