A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás confirmou a primeira morte por chikungunya em 2024. A vítima, uma idosa com comorbidades, era moradora de Serranópolis e estava internada em Jataí.

Goiás registrou a primeira morte por chikungunya, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, neste ano. A vítima, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), é uma idosa com comorbidades, moradora de Serranópolis, no sudoeste do Estado.

Conforme o painel online da SES, até a manhã desta quarta-feira (28), foram registrados 2.492 casos, sendo 1.837 já confirmados. O mosquito transmissor da chikungunya é o mesmo que transmite dengue e zika. Portanto, a forma de combate é a mesma: evitar água parada, que é onde o inseto se reproduz.

Dengue

Além da morte por chikungunya, o número de mortes por dengue em Goiás subiu para 21. Ainda segundo o painel online da SES, os óbitos foram registrados em:

  • Anápolis (6);
  • Uruaçu (3);
  • Águas Lindas de Goiás (2);
  • Luziânia (2);
  • Iporá (2);
  • Cristalina (2);
  • Goiânia (1);
  • Alto Horizonte (1);
  • Aurilândia (1);
  • Caldas Novas (1).

Em entrevista à CBN, a superintendente de vigilância em saúde do estado, Flúvia Amorim, informou que outras 70 mortes estão em investigação.

“Até o final da semana, nós estamos fazendo uma força tarefa, para conseguir concluir o maior número de investigações de óbitos de dengue. Isso preocupa e a gente confirma esses últimos óbitos confirmando o primeiro óbito por chikungunya”, ressaltou Flúvia.

O número de pessoas infectadas subiu para 30 mil, o pior cenário do estado nos últimos 34 anos.

Fonte: O Popular
Foto: Reprodução
Jornalismo Portal Panorama

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE