Veja 4 razões pelas quais você deve evitar a automedicação

Veja 4 razões pelas quais você deve evitar a automedicação

2 semanas atrás 0 Por Redação Portal PaNoRaMa

Sete em cada dez brasileiros se automedica. A maioria dos remédios ingeridos têm como objetivo tratar dores de cabeça, alergias e inflamações. No entanto, o uso diário ou excessivo desses fármacos pode resultar em efeitos adversos e, inclusive, colocar a vida em risco.

De acordo com Sarah Jarvis, diretora clínica do site Patient.info, os riscos associados a analgésicos como ibuprofeno são muito bem documentados.

“Para a maior parte das pessoas, tomar pequenas doses por pouco tempo está associado com poucas chances de ter efeitos colaterais”, ela disse ao jornal The Sun. “Quando vemos problemas acontecerem, é porque tomaram uma dose muito alta ou estenderam o uso do medicamento ao longo de semanas ou meses. Geralmente, cometem os dois erros ao mesmo tempo”, afirmou.

Veja os principais efeitos colaterais da automedicação:

1. Zumbido no ouvido

Tinnitus é o termo médico para descrever a presença de zumbidos no ouvido. Analgésicos populares como ibuprofeno, paracetamol e aspirina já foram associados a um aumento de 20% para as chances de desenvolver a condição. Embora esses medicamentos estejam disponíveis nas prateleiras das farmácias sem prescrição, eles são fármacos que produzem efeitos colaterais.

“Eles claramente geram benefícios quando usados a curto prazo. Entretanto, o uso frequente e por muito tempo pode aumentar o risco de zumbido e causar outros efeitos adversos à saúde. Por isso, é importante limitar a ingestão deles o máximo possível”, explicou a clínica geral Sharon Curhan, ao veículo inglês.

2. Comportamento

Uma série de estudos conduzidos nos Estados Unidos verificou que o uso do paracetamol pode levar as pessoas a adotarem comportamentos arriscados, pois a substância limitaria a compreensão da noção de perigo.

O princípio ativo está presente no Tylenol e no Ibuprofeno. Segundo os especialistas responsáveis pelos estudos, os voluntários que tomaram pílulas com paracetamol eram mais suscetíveis a considerarem atividades como o bungee jumping, quando comparados a quem ingeriu uma pílula com placebo

3. Dor nas costas

A maior parte das pessoas que sofre de dores nas costas costuma tomar anti-inflamatórios para aliviar os sintomas. No entanto, pesquisas mostram que o uso frequente desses medicamentos pode ter efeito contrário, acentuando a dor. Pílulas de Ibuprofeno, Aspirina e Naproxeno foram estudadas por cientistas canadenses, que comprovaram os efeitos desses analgésicos somente durante um curto intervalo de tempo.

Os médicos que conduziram o estudo também verificaram que esses comprimidos podem aumentar o risco de problemas gastrointestinais em 2,5 vezes.

4. Problemas cardíacos

Pessoas que ingerem analgésicos regularmente aumentam os riscos de complicações cardíacas e até mesmo infarto. A aspirina foi relacionada ao crescimento de 26% de problemas cardíacos em pessoas que já possuem pelo menos um fator de predisposição. Esses fatores incluem tabagismo, obesidade, pressão e colesterol altos, diabetes e doença cardiovascular.

Um estudo publicado pela Sociedade Europeia de Cardiologia afirma que quem toma Aspirina têm mais probabilidade de desenvolver esses problemas do que quem não faz uso do medicamento.

Por Eline Sandes
Foto: Getty Images
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br