Opinião

Não queremos flores

Hoje não é dia de comemoração. É dia de luta.

Hoje eu acordei inquieta. Recebi algumas felicitações, li alguns textos e senti a necessidade de escrever o fluir de alguns pensamentos no calor do momento.

Hoje não é um dia feliz. Não é um dia comercial. E acima de tudo, não é um dia superficial. Não é um dia para comemorar, não é dia de ganhar desconto nem sair para jantar. Não é dia de receber elogios e rosas. Rosas cheias de espinhos por aqueles que desfiguram nossos rostos, violentam nosso corpo e dizem nos amar. Hoje é um dia de reflexão, dia de olhar para o passado e valorizar cada mulher que deu o seu sangue para que nós avançássemos alguns passos.

É dia de relembrarmos que a mulher ao lado não é sua inimiga, é sua maior aliada. E que ao atingi-la, estamos atingindo a nós mesmas. É dia de desaprender tudo o que a sociedade diz sobre as mulheres. Bruxas, queimadas, loucas, ignoradas e mortas e ainda assim, renascidas das cinzas. E hoje dizemos com orgulho que somos as netas das bruxas que vocês não conseguiram queimar.

Hoje é dia de repensar as nossas atitudes. Dia de olhar para as mulheres da nossa vida, mães, amigas, namoradas, irmãs, colegas, professoras com mais atenção. Você, mulher, levante outras mulheres, a conquista de outras também é a sua. Elogie, escute, apoie, ajude. Não julgue, não exponha, não acuse. Você, homem, não dê rosas, não dê parabéns, não finja que hoje é um dia especial e o resto amanhã continua igual. Respeite, ame, defenda, cuide, escute, agradeça, apoie as mulheres, não só as que te atraem.

Hoje também é dia de lembrar que toda crise política, econômica e religiosa leva ao questionamento dos direitos das mulheres. Todos os direitos conquistados não são permanentes, são frutos de uma luta diária. E se você acha que a luta acabou, que não há mais nada pelo que buscar, saiba que nós lutaremos por você também.

Larissa Pedriel

mm

Larissa Pedriel

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário