Especialista lista 10 dicas que ajudam a diminuir a queda dos cabelos

Especialista lista 10 dicas que ajudam a diminuir a queda dos cabelos

2 dias atrás 0 Por Redação Portal PaNoRaMa

Ver o volume dos fios diminuindo excessivamente a cada dia é um sinal de que algo pode não estar indo muito bem. A situação acende um alerta de que é hora de buscar um especialista para descobrir as motivações e evitar o agravamento do quadro. Puerpério, desordens nutricionais, anemias, estresse e alterações hormonais são alguns fatores que contibuem para o aumento da queda capilar.

A abordagem profissional ajudará a recuperar o ritmo saudável do crescimento, além de equilibrar a perda de fios que, naturalmente, caem cumprindo o ciclo de reposição esperado. Para além disso, o comprometimento do paciente é outro fator essencial para o sucesso do tratamento. Quem faz essa revelação é o médico e tricologista certificado pela Internacional Association of Trichologists (IAT), Ademir C. Leite Jr.

“Há muitos diagnósticos de queda capilar que são mais prontamente reversíveis quando o paciente tem um envolvimento no tratamento que o faz alterar hábitos que são nocivos para a saúde em geral”.
Ademir C. Leite Jr.

Dessa forma, o profissional fez uma lista com 10 coisas que as pessoas devem fazer e que vão ajudar no diagnostico precoce e no processo de fortalecimento das madeixas. Confira:

1- Reduzir o estresse

Boa parte dos pacientes que reclamam de queda capilar apresentam ou apresentaram algum tipo de tensão que pode ser o causador do problema.

2- Ficar atento ao couro cabeludo

Caspa, descamação, feridas, dor e coceira na região fazem parte dos sinais mais recorrentes atendidos na clínica.

3- Manter a limpeza e higienização do couro cabeludo

O receio de ver os fios caindo durante o banho é, estranhamente, uma causa para que algumas pessoas evitem lavar as madeixas. “Isso é um paradoxo, uma vez que a higienização correta e rotineira colabora para a saúde capilar. Se houver um indicativo de perda acentuada de fios, que seja percebido na lavagem, deve ser levado a consultório para somar informações no diagnóstico. Lavar os cabelos não potencializa a queda. Na verdade, deixar a área suja por muito tempo contribui para o agravamento do quadro”, afirma o médico, que é diretor científico do CAECI Educacional e consultor de desenvolvimento de cosméticos e suplementos nutricionais.

4- Fazer exercícios físicos

Praticar atividades física traz vários benefícios à saúde, inclusive às madeixas. Ao liberar endorfinas, o estresse diminui e, consequentemente, a queda capilar.

5- Diminuir o consumo de álcool

Ademir C. Leite explica que “a ingestão de álcool provoca aumento da produção de radicais livres no nosso corpo e gera inflamação em alguns tecidos, incluindo a pele do couro cabeludo”.

Além disso, a bebida alcoólica desgasta o organismo, pois exige do nosso corpo um esforço maior para metabolização do etanol. Esse desgaste é um dos motivos que podem contribuir para o problema.

6- Evitar fumar

De acordo com o médico, é provado cientificamente que o fumo, por produzir radicais livres em nosso corpo, faz os fios caírem numa frequência acima do normal.

7- Evite a automedicação

A automedicação é um hábito comum, porém perigoso, que pode acarretar danos importante a saúde, principalmente se não houver o suporte de um profissional especializado.

8 – Corrigir problemas hormonais

Infelizmente, a quedas dos cabelos também estão relacionadas a problemas hormonais. Mas, Ademir pondera que o diagnóstico e a correção deste problema é suficiente para interromper o declínio dos fios.

8- Procure um médico

“Boa parte dos pacientes que chegam à clínica já tiveram experiências com fórmulas milagrosas ou com produtos que prometem tratar a queda a queda das madeixas e que são vendidos aos montes em farmácias, supermercados e na internet. Quando se dão conta, percebem que perderam tempo e cabelos com soluções que não ajudaram em nada”, avalia o médico.

Com a ajuda de um médico, além do diagnóstico bem-feito, você sairá com uma prescrição efetiva.

10- Controle da ansiedade

O profissional, que possui mestrado em Psicologia Clínica pela PUC-SP, diz que muitos pacientes buscam respostas rápidas para o contratempo, mas as madeixas não se recuperam da noite para o dia. Dessa forma, a ansiedade agirá como estresse, causado um efeito contrário ao almejado.

Tratamento

O profissional, que leciona sobre o tema há 15 anos, ressalta ainda que a quantidade de abordagens disponíveis para tratar o problema é vasta, mas pouco explorada, o que acaba prejudicando a percepção do paciente sobre eficácia de tratamentos médicos nessa área. “Os pacientes se justificam no fato de que ‘já tentaram de tudo’, quando ouço essa frase e pergunto o que ele chama de ‘tudo’, normalmente não foram utilizados 10% das possibilidades que poderiam ajudá-los.

Por Tainá Ferreira / Claudia Meireles
Foto: Aleksandr Zubkov/Getty Images
Jornalismo Portal Panorama
panorama.not.br