Causas e formas de evitar a queda de cabelo

Saúde e Bem Estar

Normalmente, é comum uma pessoa perder cerca de 120 fios de cabelo por dia, dos aproximadamente 150 000 que possui no couro cabeludo. Encontrar cabelo no ralo do banheiro, ou na escova é normal, já que o folículo sofre um trauma em ocasiões como estas e se rompe.

CAT- Saúde

Quando a pessoa percebe um volume de fios anormal no travesseiro, no chão da casa, na mesa de trabalho, entre outros locais, é preciso investigar o motivo com a ajuda de um especialista ou médico.

Por volta dos 50 anos de idade, é muito comum que as pessoas tenham alguma perda de cabelo. Porém, quando o problema se manifesta antes disso, é um sintoma de que algo anormal está acontecendo no corpo.

Nesta matéria foram listados 10 fatos que podem ocasionar a queda de cabelo e devem ser evitados no decorrer do dia a dia. Confira:

1 – Dietas rígidas

Um cardápio com deficiência de alguma vitamina (de complexo B ou C), carboidrato, proteína ou mineral (como zinco e ferro), é comum ocorrer uma queda elevada de cabelo. Para o fio nascer, o folículo necessita de uma grande quantidade de minerais, principalmente o ferro. Em dietas rígidas, a falta de nutrientes pode deixar os fios frágeis, ocasionando a queda.

2 – Alteração Hormonal

Qualquer tipo de deficiência hormonal pode ocasionar a queda de cabelo. Problemas em glândulas endócrinas como tireoide, suprarrenal e hipófise, desregulam o organismo e atrapalham a chegada dos nutrientes aos folículos capilares.

Quando o perfil hormonal de um indivíduo é, por alguma razão, defeituoso na quantidade ou qualidade, o corpo reage deixando de fazer aquilo que considera “desnecessário”, e isso inclui o crescimento do cabelo.

Alterações hormonais também ocorrem no período menstrual, pois além dos hormônios estarem com suas quantidades modificadas, há uma pequena deficiência do ferro, que é um mineral importante para a saúde dos fios. Em casos assim, é importante seguir uma dieta rica em ferro, presente nas carnes vermelhas, no feijão e em vegetais verdes-escuros.

3 – Secador e chapinha

Pessoas que tem os fios de cabelo frágeis podem sofrer uma piora acentuada com o uso demasiado de secadores e chapinhas. Após o banho, algumas partículas de água entram no fio e o contato com o calor leva à formação de bolhas de ar dentro dos fios, favorecendo a queda. Recomenda-se usar chapinha ocasionalmente e no caso do secador, manter o aparelho a 30 centímetros de distância da cabeça, em temperatura morna.

4 –Anemia

O ferro é um mineral presente na hemoglobina e é fundamental para a formação de glóbulos vermelhos, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue. Na falta deste mineral, há falta de ar, mal-estar, dor de cabeça, fraqueza, cansaço e queda de cabelo. A perda dos fios ocorre por que a anemia compromete a produção dos fios e fragiliza os já existentes, por falta de oxigenação no bulbo capilar. Como o cabelo é, substancialmente, formado de proteína, o mesmo depende do bom funcionamento da hemoglobina.

5 – Banho quente

A alta temperatura da água durante o banho leva ao ressecamento da estrutura dos fios. A água extremamente quente também retira o excesso de sebo, que é essencial para a proteção do couro cabeludo. Para não danificar os fios, é recomendado que a água esteja morna (cerca de 20º Celsius) – uma temperatura em que se sinta um leve frio na hora do enxágue.

6 – Stress

O stress obriga o corpo utilizar mais energia do que o usual, o que pode afetar a produção dos fios. Os nutrientes necessários para a fabricação de cabelo estão sendo consumidos para gerar energia. Nessa situação, o organismo inteiro perde uma grande quantidade de vitaminas e minerais. Além disso, o stress faz com que o organismo produza mais cortisol, hormônio que desacelera a divisão celular na raiz. A queda pode chegar de metade a três quartos do total de fios.

7 – Tabagismo

Além de causar problemas no pulmão, no sistema circulatório e até nos ossos, o fumo pode levar à queda de cabelo. O tabagismo leva a uma baixa oferta de nutrientes para os fios, devido à diminuição da irrigação do couro cabeludo.

8 – Produtos químicos

A escova progressiva é um dos tratamentos químicos considerados mais agressivos ao cabelo. O contato do couro cabeludo com ativos proibidos, como concentrações elevadas de formol e glutaraldeído, promove inflamações e assim, queda aos fios. Além de respeitar os limites impostos por agências reguladoras com a Anvisa, o ideal é dar um intervalo de três a quatro meses entre um procedimento e outro. Produtos com agentes que prometem alisar o cabelo podem causar o mesmo efeito.

9 – Penteados

O rabo de cavalo e outros penteados que tencionam o cabelo promovem quebra do fio e inflamação no folículo capilar, que induzem a queda. Esse hábito pode causar uma alopecia por tração, quando ocorrem falhas no cabelo pela força exagerada empregada para puxar os fios. Para quem não quer deixar os penteados de lado, o ideal é não prender o cabelo enquanto eles estiverem molhados e não deixa-los tensionados por longos períodos.

10 – Antidepressivos

Remédios como anti-hipertensivos, antibióticos e anabolizantes fragilizam o cabelo. Mas os mais agressivos a saúde capilar são os antidepressivos. Esses medicamentos atuam diretamente no sistema nervoso e na divisão celular. Esse processo interrompe o ciclo normal de vida do cabelo e o torna mais sensível e predisposto à queda. O ideal, nesse caso, é conversar com o médico para regular a dose ou trocar para outra substância que não interfira no bulbo capilar.

Inf. Veja – Nayara Borges – Site PaNoRaMa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.