Você anda sentindo muito cansaço sem motivo aparente? Uma fadiga, moleza, aquela falta de energia até para levantar da cama? Pois saiba que isso não é normal e pode indicar diversos problemas de saúde. Com a correria do dia a dia muitos atribuem essa sensação de cansaço extremo a noites mal dormidas e ao estresse. E isso deve ser avaliado severamente, já que dormir mal, passar horas no trânsito e a correria do dia, podem sugar sua energia. Entretanto, existem outros fatores muito mais graves e eles também devem ser considerados.

Confira o que pode estar ocasionando esse cansaço em você:

  • Desequilíbrio hormonal: com a chegada da idade mais avançada, o declínio hormonal começa a ocorrer entre homens e mulheres. A menopausa e o climatério, período onde começa a queda dos hormônios, é um grande problema para as mulheres que começam a sofrer com fadigas, calores excessivos, e um desequilíbrio no corpo como um todo. Entretanto, a queda hormonal é fisiológica, não uma doença. O problema é quando a queda é acentuada, pois ela pode gerar problemas desagradáveis, entre eles, o cansaço extremo.
    Uma das hipóteses estudadas associa a sensação de cansaço permanente a uma queda de atividade dos neurotransmissores, como serotonina, dopamina e noradrenalina, indicando que o declínio hormonal pode ter ligação direta com a falta de energia e a sensação de fadiga. Nesse caso, é indicada a reposição hormonal, para reequilibrar o correto funcionamento do sistema nervoso central. A baixa produção ou a falta de hormônios tireoidianos, por exemplo, pode agravar a sensação da falta de energia e causar sintomas de depressão.
  • Anemia: o desequilíbrio alimentar é um dos principais fatores para a causa de anemia, principalmente por deficiência de ferro, a Ferropriva, o que está associado à situações de queda de energia e disposição física. Isso acontece porque o ferro é um nutriente essencial ao organismo, responsável pela produção de glóbulos vermelhos e transporte de oxigênio. A deficiência de ferro surge principalmente por carência nutricional, infecções intestinais, menstruação com fluxo sanguíneo muito intenso e durante a gravidez, mas qualquer pessoa pode desenvolver anemia, se não receber o aporte correto na dieta ou tiver problemas de absorção.
  • Dietas restritivas: e já que falamos de desequilíbrio alimentar, está aqui uma das maiores causas desse problema. Atualmente o número de pessoas que adere a dietas muito restritivas, sem consultar um profissional da nutrição, está cada vez maior. Eliminar de maneira radical grande quantidade de alimentos ou fazer dietas da moda que cortam de maneira exagerada certos grupos alimentares, pode gerar déficits nutricionais pela dificuldade de conseguir obter por meio da alimentação, nutrientes importantes para o organismo. O carboidrato, por exemplo, nos dá glicose, que é um combustível importante para o corpo. Sem ele a sensação de esgotamento é mais frequente, tornando as queixas de cansaço e falta de energia mais comuns após as duas primeiras semanas de restrição.
  • Estresse e ansiedade: esses dois probleminhas são sem sombra de dúvidas os males da humanidade ao lado da depressão. Vítimas deles, tendem a acordar cansados, não relaxar ou dormir a noite, não conseguir se concentrar, etc. Isso acontece porque o estresse libera quantidades altas de cortisol e adrenalina, hormônios que em altas doses prejudicam o funcionamento dos neurotransmissores, deixando os indivíduos ansiosos, com dificuldade de concentração e no sono.

A saída para tudo isso, é praticar atividade física, se alimentar corretamente e procurar um médico e um nutricionista, que vão te ajudar e propor um tratamento adequado.

Flávia Menezes
Jornalismo Portal Panorama

39Shares

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui