Os sintomas clássicos de câncer de próstata, como dificuldade, dor ou ardor ao urinar, parecem alarmantes e fáceis de perceber. Porém, quatro em cada dez brasileiros (39%) não sabem que esses são sinais da doença, o que tende a dificultar o diagnóstico e atrasar o tratamento, de acordo com uma pesquisa realizada pela Ipsos.

As estimativas mostram que cerca de 68 mil homens recebem o diagnóstico de tumor na próstata por ano no país. É o segundo tipo de câncer mais comum entre o sexo masculino, atrás apenas do de pele, não melanoma. Em relação à mortalidade, o câncer de próstata é o segundo tipo de tumor maligno mais letal para os brasileiros, são 14 mil mortes ao ano, ficando atrás apenas do câncer de pulmão.

É preciso ficar alerta aos sintomas, uma vez que a doença é conhecida por evoluir silenciosamente.

Geralmente, quando os pacientes apresentam os sinais, os tumores estão em fase mais avançada. Eles são parecidos com os da hiperplasia benigna ou também de uma prostatite (inflamação causada por bactérias):

  • Dificuldade para urinar (por exemplo, demora para começar e terminar);
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia e/ou à noite;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Dor ou ardor ao urinar;
  • Presença de sangue na urina ou no sêmen;
  • Dor ao ejacular.

Quando a doença atinge a fase avançada e espalha-se para outros órgãos, os sintomas podem incluir dor óssea ou infecção generalizada.

A nova pesquisa também revelou que, se suspeitassem de um câncer de próstata, apenas metade dos entrevistados procurariam um urologista.

Além disso, o medo de receber um diagnóstico de algum câncer aflige três em cada quatro entrevistados de ambos os sexos. De acordo com o levantamento, 86% das mulheres realizam check-up anualmente. Entre os homens, o percentual cai para 66%.

Para chegar aos números, os pesquisadores da Ipsos realizaram 500 entrevistas onlines com homens e mulheres de 18 a 55 anos de todo o Brasil.

Fonte: UOL
Jornalismo Portal Panorama

46Shares

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui